Home Opinião A FLEC continua e o MPLA deveria negociar o fim da guerra e a Autonomia de Cabinda

A FLEC continua e o MPLA deveria negociar o fim da guerra e a Autonomia de Cabinda

por Joffre Justino

A FLEC, Frente de Libertação do Estado de Cabinda, anunciou hoje a morte de quatro militares das Forças Armadas Angolanas, em confrontos naquele enclave, que provocaram ainda a morte de seis civis e dois dos seus combatentes, mostrando o como é inútil não reconhecer no mínimo a autonomia de Cabinda 

Num  “comunicado de guerra”, assinado pelo general de brigada e porta-voz do Estado-Maior-General das Forças Armadas Cabindesas (FAC), António do Rosário, a FLEC informou que os confrontos aconteceram na noite de terça-feira, na vila de Chuvovo, região de Massabi.

Os incidentes terão ocorrido  “devido a provocação do Exército angolano que violou o cessar-fogo recentemente decretado no território de Cabinda”.

A FLEC, através do seu “braço armado”, as FAC, luta pela independência no território alegando que o enclave era um protetorado português, tal como ficou estabelecido no Tratado de Simulambuco, assinado em 1885, e não parte integrante do território angolano.

Criada em 1963, mas nascida antes, a organização independentista dividiu-se e multiplicou-se em diferentes fações, com a FLEC/FAC a manter-se como o único movimento que alega manter uma “resistência armada” contra o poder caluanda 

DYAS // LFS

Lusa/ Estrategizando 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.