Home Economia Os negócios da Banca global em lusas fronteiras

Os negócios da Banca global em lusas fronteiras

por Joffre Justino

O negocio da venda do Banco Caixa Geral, em Espanha, ao Abanca, terá um impacto positivo de 135 milhões nos resultados do primeiro semestre e nos capitais consolidados da Caixa Geral de Depósitos, CGD.

Em comunicado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, CMVM, no dia em que o Banco Central Europeu (BCE) autorizou a operação, a CGD deu conta de que considera ser, “um evento subsequente ajustável” e que, por isso, “as contas referentes ao período findo a 30 de junho de 2019 serão alteradas para acomodar os efeitos desta decisão”.

“Considerando as informações atualmente disponíveis, o impacto estimado na valorização desta participação com referência a 30 de junho de 2019 é positivo em 135 milhões de euros no resultado líquido do período e nos capitais próprios consolidados da CGD”, devido ao “ajustamento, ao valor da venda, das imparidades registadas nas contas da CGD no final de 2017 …Deste modo, o resultado líquido com referência a 30 de junho de 2019 será de 417,5 milhões de euros. Neste cenário o rácio CET1 passa de 14,8% para 15,1%” indicou o banco público e a 30 de julho, a CGD anunciou lucros de 282,5 milhões de euros no primeiro semestre de 2019.

O banco adiantou que a aprovação do BCE da venda de 99,79% da filial espanhola ao Abanca “conclui o processo de aprovação, por parte das autoridades competentes, da venda daquela subsidiária, do qual tinha sido dado nota na comunicação ao mercado efetuada pela CGD em novembro de 2018”.

A CGD referiu ainda que, “de acordo com o contratado, o processo de alienação deverá estar concluído durante o mês de outubro de 2019” e  a integração informática, jurídica e financeira das duas entidades deverá ser realizada “no primeiro trimestre de 2020”, segundo o Abanca, divulgou hoje.

Segundo a entidade bancária espanhola uma vez concluída a integração do Banco Caixa Geral, o Abanca irá somar um volume de negócios de 7.000 milhões de euros e 131.000 clientes e a instituição vai pagar 364 milhões de euros pela aquisição do Banco Caixa Geral à CGD.

Mas, na verdade o que vemos é o isolamento da CGD nestes 90 mil km2 … o que numa economia global é em si um erro estratégico porque a gestão dos dinheiros ao tempo que deixou de se confinar a fronteiras nacionais e ao que parece as bancas portuguesas têm para a UE de ser pequeninas e nacionais. 

Joffre Justino 

Imagem destaque: Lusa 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.