Home Opinião Bolsonaro decreta reabertura de igrejas para garantir aliados

Bolsonaro decreta reabertura de igrejas para garantir aliados

por Silvio Reis

Cada vez mais isolado na política, o PR Bolsonaro publicou um decreto na manhã de 26.03 que determina a reabertura de igrejas durante a quarentena de coronavírus.  A justificativa é que a atividade religiosa faz parte de serviços essenciais.

Neste momento em que o presidente perde aliados políticos, a Bancada da Bíblia no Congresso  e  pastores influentes poderão reforçar o novo slogan de Bolsonaro em favor da Economia e contra o isolamento pandêmico.  “Chega de demagogia! Não há saúde na miséria!” O prefeito evangélico do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, já afirmava a reabertura de igrejas antes da publicação do decreto.

No Congresso, Bolsonaro perdeu aliados na Bancada do Boi no meio político meio político depois do conflito diplomático com a China, a principal cliente de carne bovina brasileira. O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, é um dos grandes ruralistas que se opõe à atitude de isolar somente idosos e pessoas do grupo de risco do coronavírus.

Em favor de priorizar a Economia, em detrimento da saúde, Bolsonaro já recebeu apoio do presidente da Federação das Indústrias de Minas Gerais, Junior Durski; e do o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes. O ministro da Saúde mudou o discurso para continuar no governo. Agora, Mandetta defende que “A saúde só pode funcionar quando gera riqueza.”

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Augusto Heleno, 71 anos, viajou com a comitiva do presidente aos Estados Unidos e foi infectado. Só cumpriu sete dias de isolamento e voltou a despachar no Palácio do Planalto, com autorização médica.

Imagem destaque: Bolsonaro foi batizado no Rio Jordão, Israel, em 2016

Silvio Reis, jornalista brasileiro

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.