Home África Xenofobia na África do Sul

Xenofobia na África do Sul

por Nardia M

O Presidente sul-africano Cyril Ramaphosa condenou a violência xenófoba em todo o país que se espalha no país desde a semana passada, com manifestantes em diversas cidades a atacarem  lojas de estrangeiros e a saquearem as suas lojas.

Os distúrbios deixaram rasto de destruição sobretudo nos arredores de Joanesburgo, com lojas saqueadas, montras partidas e carros queimados no bairro de Malvern, onde a maioria dos negócios está nas mãos de estrangeiros, “Ligaram-me a dizer que havia pessoas a invadir a minha loja. Quando cheguei, todos os acessos estavam bloqueados e eles estavam aqui em grande número. Fiquei ali a assistir ao que estava a acontecer. Queimaram carros, saquearam lojas. Foi de facto um caos. Nunca vi nada assim desde que me lembro de ser pessoa”. 

O relato é de um nigeriano que pede para não ser identificado. É uma das vítimas da mais recente onda de ataques xenófobos na África do Sul que como se vê não afeta só caucasianos. 

A tradição de conflitualidade xenófoba é antiga nesta zona de África até nas guerras shozas/zulus e depois com a violência do apartheid pelo que é importante esta rejeição da xenofobia vinda do Presidente sul-africano Cyril Ramaphosa.

Nardia M

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.