Home Internacional O Nobel da Paz para Abiy Ahmed Ali

O Nobel da Paz para Abiy Ahmed Ali

por Joffre Justino

Foi um um ano com 301 candidatos a potenciais Nobel da Paz e com vários nomes bem conhecidos internacionalmente entre as 223 pessoas nomeadas individualmente e as 78 organizações que concorreram  a este importante prémio do mundo.

Mas o Nobel da Paz coube a um quase desconhecido ainda que relativamente merecedor Abiy Ahmed Alicom 43 anos, um engenheiro informático, primeiro ministro da Etiópia desde 2 de abril de 2018 e leader  do Partido Democrata Oromo (ODP) e líder da Frente Democrática Revolucionário do Povo Etíope (EPRDF), uma coligação que governa a Eriopia 

Tendo sido oficial de inteligência do exército etíope, Abiy assumiu em abril de 2018, no meio dos protestos generalizados contra o regime autoritario de Hailemariam Desalegn. A lidersnça do governo e é Abiy é o primeiro oromo étnico exercer a liderança  do governo de Etiópia. 

Abiy implementou um processo de reforma política, social, e económica, que foi da libertação de mais de 7.600 prisioneiros considerados presos políticos e incentivou o regresso de vários dirigentes opositores exilados; combateu o monopólio estatal na economia  e uma reforma constitucional que à volta do sistema de federalismo étnico implementado no país, gerador de demasiados conflitos raciais na Etiópia.Abiy tem preparado  uma transição progressiva para uma plena democracia multipartidaria  um aumento da participação da mulher na política etíope, com a eleição de Sahle-Work Zewde como presidenta da república a nomeação da advogada activista pelos direitos das mulheres Meaza Ashenafi como presidenta do Corte Suprema Federal, além de atingir a pari idade de género dentro de seu gabinete

Enfim um premio Nobel sempre politico desta feita a tentar incentivar um politico reformista em um dos países mais pobres do mundo a Etiópia que  “…trabalha para reduzir a insolvência, dificuldades e fome, usando programas na agricultura para reduzir o impacto da mudança climática”, disse durante uma declaração pública o coordenador da FAO para a África Oriental, Chimimba David Phiri e que assume a iniciativa nacional de plantar quatro biliões de árvores na estação chuvosa, reflorestando o país e incentivando outros países a direcção certa nessa luta contra à desertificação e a seca.

Releve-se que os etíopes plantaram em Agosto de 2019 pela segunda vez em dois meses mais de 220 milhões de árvores, numa iniciativa governamental para combater a desflorestação no país, iniciativa que partiu do Primeiro-Ministro, Abiy Ahmed, e pretende ajudar a restaurar a paisagem do país, que segundo os especialistas, estava  a ser rapidamente destruída pela desflorestação e pelas alterações climáticas

Joffre Justino 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.