Home Economia A Teoria das Culturas Superiores e um futuro Índice de Felicidade (1)

A Teoria das Culturas Superiores e um futuro Índice de Felicidade (1)

por Joffre Justino

É divertido ver alguém “muito lido” a escorregar pé no chinelo, como quase sistematicamente o faz JM Tavares, facilitando assim a vida a todos os que melhor ou pior, se dedicam à analise socio política abrindo tanto espaço para o criticar. 

Desta feita JMT escreve hoje, 16, sobre a óbvia existência de “culturas superiores”, as que “literariamente, economicamente, cientificamente, e tecnicamente” mais deram ao mundo “desde que o homem é homem”. 

Argumenta então JM Tavares que a superioridade intelectual tem a ver com a “qualidade das instituições”, e não com as pessoas.

Vejamos pois mais afincadamente este tema com dados públicos:

  • “Mais de 140 milhões de pessoas são pobres ou vivem com renda insuficiente para pagar suas contas nos Estados Unidos, o que representa 43% da população do total do país, considerado um dos mais ricos do mundo.

Os dados foram revelados nesta quarta-feira pela organização Poor People’s Campaign”, in Exame 

  • Entretanto, via o pordata descobrimos  que face aos 43% de pobres dos EUA, a UE apresenta somente 22,5 %, e Portugal 23,3%.

Nesta ordem de ideias Portugal seria muito mais “superior” que os EUA pois por cá ha visivelmrnte bem mais respeito que na ainda maior potencia mundial.

  • Se olharmos para a China vemos que “No final do ano passado, 82 milhões de chineses – em uma população total de 1,36 bilhão – viviam sob este limite, (de pobreza)  afirmou  à imprensa o encarregado de desenvolvimento, Zheng Wenka  (in Exame). 
  • Quanto à Russia,  “”De acordo com os nossos dados, o número de cidadãos com renda inferior ao mínimo que permite a sobrevivência se mantém em torno dos 20 milhões”, ( 13% da população) disse o ministro do Trabalho, Maxim Topilin, em entrevista ao canal público.”” ( in Exame) 

Vejamos agora a escolarização da população, pois a escolarização é um valor acrescentado que o cidadão mais qualificado  transporta para economia: 

  • “Entre a população adulta, mais de 85% da população americana possui um diploma de segundo grau, e 27% possui um diploma de ensino superior.” (In Wikipedia)
  • quanto à UE a a Portugal os dados para o mesmo período sao o que seguem, 
UE 28 ( 2017) 78,1
Portugal 49
  • No que respeita à China “A taxa de matrículas no ensino primário foi de 99,8% e 86,5% para o ensino médio, taxa superior ao nível médio dos países de renda alta.”  ( in portuguese people.cn) o que JMTavares ignora por desconhecimento ou para nao divulgar esta qualificação chinesa.
  • E a Russia, “Na Rússia existem mais de 50 mil estabelecimentos de ensino geral. Neles estudam mais de 13 milhões de estudantes, entre os quais mais de 70 mil estrangeiros.”, ( in univ de coimbra) .

Mas Vejamos os rendimentos médios existentes nestes países, começando pela UE e Portugal,  

UE28 2017 18.573 Euro
Portugal 2017 10 .863 Euro
  • “Entre 2005 e 2016 o salário médio nas fábricas chinesas quase triplicou, situando-se agora nos 3,60 dólares por hora (3,40 euros). Em Portugal, a média ronda atualmente os 4,25 euros, ma queda significativa face aos 5,9 euros por hora praticados em 2007.” ( in dinheiro vivo) 
  • “A queda faz com que os custos de mão de obra no país sejam mais baratos do que na China, por exemplo. “O salário médio mensal na Rússia é de US $ 433, isto é, menor do que na Sérvia, Romênia, China ou Polônia”, disse Matovnikov.” ( in Russia Beyond) 

Vejamos ainda o que nos diz os resultados e gastos com investigação produção cientifica: 

  • “Em 2017, o número de publicações científicas em Portugal por milhão de habitantes totalizou 2.188, ultrapassando as cifras da Alemanha (1.913), Espanha (1.808), Itália (1.683) e França (1.612). À frente de Portugal, estão a Dinamarca (4.361), a Suécia (3.756), a Finlândia (3.409), a Holanda (3.118) e o Luxemburgo (3.083).” ( in publico) 
  • “Os gastos da China com pesquisa e investigação científica deverão fixar-se, este ano, em 2,5% do Produto Interno Bruto do país.” ( in DN) 
  • Despesa em investigação e desenvolvimento, % PIB, 2016

(percentagem, Fonte: O Banco Mundial) Russia 1,1% 

  • “Nos Estados Unidos, o valor médio destinado a pesquisa e desenvolvimento no setor industrial é de 3,5% das receitas. Empresas de alta tecnologia como um fabricante de computadores em geral gastam 7%. Uma empresa de biotecnologia está no topo da lista investindo 43,4% das receitas em I&D. Qualquer empresa que investe mais de 15% é exceção e em geral recebe reputação de ser uma empresa de alta tecnologia”. ( in Wikipedia ) 

E agora analisemos o  Indice de desenvolvimento humano, sabendo que “O Índice de Desenvolvimento Humano é uma medida comparativa de riqueza, alfabetização, educação, expectativa de vida, natalidade e outros fatores para os diversos países do mundo sendo um modelo padronizado de avaliação e medida do bem-estar de uma população e é usado para distinguir se o país é desenvolvido, em desenvolvimento ou subdesenvolvido, e para medir igualmente o impacto de políticas econômicas na qualidade de vida”(in Wikipedia) 

E no contexto do indice de desenvolvimento humano temos a seguinte “ordem das coisas”, estranha ordem aliás. 

13 EUA; 

42 Portugal

49 Russia 

86 China 

( bem, como sabemos a UE nao existe… nestas estaristicas e em tantas outras circuntancias globais ) mas vejamos no Indice de Desenvolvimento Humano os de valor mais alto para ver os Nao UE e como se vê em 30 paises temos  11 Não e nos 10 primeiros 5 sao Não UE com os 3 primeiros a serem nao UE o que ja mostra quão menos estranha é uma realidade que nao se cinja a folhas de excel baseadas em dados financistas e olhe um pouco mais para as pessoas pois alem da riqueza ha que olhar para a alfabetização, a educação, a expectativa de vida e ate o Direito à Felicidade como nos ensina o Pobre Butão ! 

Eis pois o que nos mostram os números se lidos de outra forma – Não há Culturas Superiores há somente momentos históricos diversos e sociedades em momentos de maior avanço ou menor educacional, tecnológico, organizacional sucedendo tal em todas as Culturas, da Chinesa, à Portuguesa, à das Espanhas, à Inglesa e como estamos a ver à Americana, ( ora em queda trumpista), à Russa ( em recuperação)  ou à Chinesa ( em recuperação).

E no contexto temos uma UE que se mostra incapaz de o ser entre as ganâncias germano francesas como ficou bem visível na forma como um acordo politico não resistiu 24h após um ato eleitoral europeu vindo ao de cimas as velhas e decadentes ganâncias como vimos com uma capataz de Merkel a querer a todo o custo um poder mesmo inconsistente.

Continuaremos! 

IDH

Estimativas de 2017 (publicadas em 2018)

[1] Mudança em relação ao ranking do ano anterior

  • 1  Noruega Nao UE 
  • 2  Suíça Nao UE 
  • 3  Austrália Nao UE
  • 4  Irlanda
  • 5 (1)  Alemanha
  • 6  Islândia
  • 7 (1)  Hong Kong Nao UE
  • 8  Suécia
  • 9 (1)  Singapura Nao UE
  • 10  Holanda
  • 11 (1)  Dinamarca
  • 12  Canadá Nao UE
  • 13 (1)  Estados Unidos Nao UE
  • 14  Reino Unido
  • 15  Finlândia
  • 16  Nova Zelândia Nao UE
  • 17 (1)  Bélgica
  • 18 (1)  Liechtenstein
  • 19  Japão Nao UE
  • 20  Áustria
  • 21  Luxemburgo
  • 22  Israel Nao UE
  • 23 (1)  Coreia do Sul Nao UE
  • 24  França
  • 25  Eslovênia
  • 26  Espanha 
  • 27  República Checa
  • 28  Itália
  • 29  Malta
  • 30  Estônia

Joffre Justino

Imagem destaque : Lusa 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.