Home Cidadania A Livre circulação de Pessoas pressiona o Estado português

A Livre circulação de Pessoas pressiona o Estado português

por Joffre Justino

Segundo o Sindicato da Carreira de Investigação e Fiscalização do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras, SCIF-SEF, os novos imigrantes estão a “aumentar significativamente” em Portugal, com relevo para os oriundos do Brasil, que são já 17.000 nos primeiros 4 meses com nova autorização de residência, informou  hoje o ministro da Administração Interna.

Na sessão de abertura do congresso do referido sindicato que representa a maior parte destes profissionais, Eduardo Cabrita destacou tanto  “o crescimento do fluxo de turistas” no país, como “o aumento significativo” das novas Autorizações de Residência (AR) em 2018 e nos primeiros quatro meses deste ano “Portugal tem hoje uma economia em grande crescimento, isso faz com que só nestes quatro meses tenham sido dadas tantas AR como todo o ano de 2014. Faz com que tínhamos passado de 44 milhões de passageiros controlados nos aeroportos em 2016 para 55 milhões em 2018”, disse o ministro Eduardo Cabrita, comparando com 2014 onde foram concedidas 35.000 novas AR e, no ano passado, foram 62.000.

O ministro indicou também que, entre janeiro e abril deste ano, foram 30.000 as novas AR, ou seja, foram dadas quase tantas novas AR este ano como em 2014.

Segundo o ministro os cidadãos oriundos do Brasil, que são “a principal nacionalidade de novos migrantes”. Sendo curioso que o ministro diga que “ A estabilidade social e económica e política do Brasil tem aqui justificado que este seja o país com maior afluxo de novos residentes. Foram 28.000 novas AR para cidadãos brasileiros em 2018 e foram 17.000 só nestes primeiros quatro meses de 2019. É, por isso, que tem pouco sentido falar nas recusas de entrada que são 0,02%, isto é, um em cada cinco mil pedidos de entrada”, quando a razão deste movimento é mesmo a instabilidade e a fascização em que vive o país

Além “do crescimento exponencial do afluxo” de imigrantes, o ministro adiantou que este ano vai continuar a aumentar o número de passageiros no aeroporto de Lisboa, devendo “certamente ultrapassar” os 30 milhões de passageiros.

Já entre janeiro e abril, o número de passageiros controlados pelo SEF no aeroporto de Lisboa voltou a crescer 10%, passando dos 2,5 milhões para cerca de 2,8.

“Significa isto que Portugal é hoje um pais novamente atrativo“, sustentou o ministro. 

Ora como o congresso deste sindicato que representa os inspetores do SEF se realiza com o tema “Preparar Portugal para a Imigração do Século XXI; Uma Escola para o SEF – Caminhos para a Formação Específica e a Qualificação” seria expectável que o ministro refletisse sobre as causas verdadeiras desta circulação e sobretudo sobre o impacto num mercado de trabalho. 

por demais descontrolado dado o pacote laboral Vieira da Silva … é que esse descontrolo tem gerado grave conflitualidade planeta fora e em boa parte por falta de reflexão previsional dos responsáveis políticos e organizacionais e o fluxo migratório grave pressão ambiental e económica. 

Foto de destaque: LUSA

JJ

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.