Home Brasil Os golpes de Moro e a visita de Marcelo à tomada de posse de Bolsonaro

Os golpes de Moro e a visita de Marcelo à tomada de posse de Bolsonaro

por Joffre Justino

Não damos usualmente este tipo de notícias mas a junção de informações recebidas de fontes diversas levou-nos a alertar para o grave risco em que se envolve a ida do PR MR Sousa à tomada de posse do fascista Bolsonaro .

Comecemos com a notícia segundo a qual o juiz Felix Fischer, do STJ Superior Tribunal de Justiça suspendeu neste sábado 1 de dezembro o sigilo do pedido de prisão de Luíz Fernando Pezão governador do Rio de Janeiro e do MDB o partido de Temer  e, com isso, revelou que o dinheiro de um suposto suborno recebido pelo governador do Rio de 2007 a 2014 vinha de empreiteiras e prestadoras de serviços ao governo, como Carioca Engenharia, Andrade Gutierrez, Delta, Comercial Milano e Masan.

Segundo o documento da PGR sobre os contratos com essas empresas era cobrada uma comissão de   5% de para esta suposta organização criminosa do ex-governador Sérgio Cabral também do MDB dos quais, R$ 150 mil eram destinados mensalmente a Pezão, que então ocupava os cargos de secretário de Obras e vice-governador do estado.

O UOL tentou ouvir todas as empresas citadas pela PGR, em busca de um posicionamento relativo ao suposto pagamento de comissões  em contratos públicos sendo que a Carioca engenharia informou, por meio da sua assessoria de imprensa, que não vai comentar qualquer denúncia relativa ao caso a Andrade Gutierrez não havia respondido aos contatos até as 15h deste domingo, 2 já as assessorias de imprensa da Delta, da Comercial Milano e da Masan não foram encontradas.

À Polícia Federal, Pezão negou ter recebido algum suborno e o UOL aguarda um posicionamento da defesa do governador.

O valor era repassado a Pezão, a pedido de Cabral, por Carlos Miranda, em cuja delação premiada, homologada no ano passado, se baseiam as investigações do Ministério Público Federal – as quais, por sua vez, motivaram o pedido de prisão por parte da procuradora-geral Raquel Dodge.

Segundo este documento da PGR o governador teria recebido R$ 2.215.270,00 durante o tempo atrás referido. 

Num contato com a imprensa, a juíza Dodge disse que a prisão de Pezão foi necessária porque a investigação apontou que o esquema de lavagem de dinheiro estava em curso razao que fez com que Pezão fosse preso pela Polícia Federal na quinta-feira 29 num desdobramento da operação Lava Jato batizado de Operação Boca de Lobo.

O governador detido na unidade prisional da Polícia Militar, em Niterói, está sala de Estado maior, já que foi preso no exercício do cargo de governador e só deve ser transferido de local no 1º de janeiro, data em que termina seu mandato tendo sido alvo de um dos nove mandados de prisão preventiva tendo havido outros 30 de busca e apreensão no Rio e em Minas Gerais.

Nota curiosa este Pezão é o quarto governador do Rio de Janeiro preso e o primeiro em pleno  cumprimento do mandato  sendo um Cabral e o casal Anthony e Rosinha Garotinho os outros três.

Integremos agora a segunda informação que tende a envolver o ex juiz Moro hoje super ministro de Bolsonaro neste romance policial 

Na verdade corre-se Priscila de que a prisão do PEZÃO tenha sido um teste para prenderem petistas no próximo ano. Note-se que este Pezão que tem um estatuto privilegiado e foi preso apenas com base numa delação sem provas e sem sequer ter sido condenado, e mais não poderia ser preso até o final do mandato. 

Esta é a razão de se poder dizer que Sergio Moro irá usar os mesmos truques jurídicos para prender governadores, deputados e senadores petistas a partir do ano que vem comprovado a validade deste teste.

Realmente podendo Pezão ser um corrupto só deveria ter sido preso a partir de 1º de janeiro valendo recordar que se a operação Lava Jato quisesse prender bandidos não-condenados com base numa simples delação, teriam prendido Alckmin que não tem foro privilegiado, ou mesmo quando ainda tinha, pois o Ministério Público da Suíça enviou centenas de páginas de provas de suas propinas como prenderiam José Serra, Aécio Neves, Onyx Lorenzoni, etc.

A prisão de Pezão servirá para ver a reação do meio jurídico e da esquerda e esta foi a melhor possível para os Moro e Bolso pois a esquerda aplaudiu a prisão de um político com foro privilegiado que não foi sequer condenado baseado apenas em delações.

Assim segundo esta fonte os governadores, senadores e deputados do PT que se cuidem em 2019 pois o Moro já mostrou que não precisa de provas contra o PT, só precisa convencer UM delator a denunciar algo contra algum petista, e ele manda prender na mesma hora.

Pode-se pois inferir que os leaderes do PT Gleisi, Haddad e Dilma encabeçam a lista dos próximos perseguidos diz-nos a fonte! 

Perante esta situação pode um jurista e o PR MR Sousa ir à tomada de posse de um governo que sem vergonha pisa a Lei !? 

 

Foto de destaque: folha.uol.com.br

 

Antonio Sousa

0 comentário
1

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.