Home África Ascenção e queda de Isabel dos Santos aos olhos da Forbes. Da fortuna à falência

Ascenção e queda de Isabel dos Santos aos olhos da Forbes. Da fortuna à falência

por Joffre Justino

A revista Forbes, tem um artigo de investigação sobre a ascensão e queda da há 2 anos, a mulher mais rica de África ( e agora já não)!

Sabe-se que há oito anos, a Forbes mesma dava  a filha de José Eduardo dos Santos, o antigo presidente de Angola valia cerca de 3,5 mil milhões de dólares.

Mas hoje com as acusações de corrupção, com activos congelados pelos tribunais em três países diferentes e com um processo legal que reclama centenas de milhões de dólares em dívidas num quarto país são o dia a dia de Isabel dos Santos e assim, Isabel dos Santos já não é bilionária e não consta na lista das pessoas mais ricas de África. 

Mas note-sr a Forbes releva que Isabel dos Santos não perdeu qualidade de vida, uma vez que terá uma casa numa ilha privada no Dubai, bem como outa residência em Londres e, ainda, um iate de 35 milhões de dólares e há a possibilidade de existirem contas e activos que a Forbes desconheça e aos quais as próprias autoridades legais não consigam ter acesso. 

Esta filha mais velha de José Eduardo dos Santos, foi acumulando participações significativas em empresas de áreas como banca, diamantes ou telecomunicações enquanto o pai esteve no poder com mais 🌽 de metade dos seus activos em participações em empresas portuguesas que, lhe conferia credibilidade a nível internacional que ora nao tem.

Em 2013, foi entendida como bilionária pela Forbes pela primeira vez, e  o governo santista angolano descrevia tal como motivo de orgulho nacional pois ele achava-se a nação! 

Citada por esta Forbes Ana Gomes indica que as empresas em que Isabel dos Santos investia ignoraram a fonte questionável dos seus fundos, e afirmando que sempre suspeitou de lavagem de dinheiro e se no início do ano passado, Isabel dos Santos processou Ana Gomes por difamação, perdeu o caso.

Mas na verdade o princípio do fim vem de 2017, quando o pai de Isabel dos Santos foi substituído por João Lourenço na liderança de Angola que assumiu atacar a corrupção no país, tendo mesmo demitido Isabel dos Santos da presidência da petrolífera estatal Sonangol. 

Em Dezembro de 2019, um tribunal angolano congelou os bens da empresária e do marido no país e passado um mês o procurador-geral acusava ambos de branqueamento de capitais e lavagem de dinheiro.

Depois veio o golpe final com o Luanda Leaks na destruição de Isabel dos Santos e diz a Forbes em Janeiro de 2020, vários documentos com informações sobre os activos de Isabel dos Santos são tornados públicos como a alegada compra de uma participação da Galp no valor de 75 milhões de euros por apenas 11 milhões de euros.

Os activos começaram, então, a ser congelados em Angola com activos no valor de 300 milhões de dólares mas também em Portugal e na Holanda enquanto investigam os negócios de Isabel dos Santos, 1,3 mil milhões no total destes dois países.

Os processos judicias, porém, não têm fim à vista e Isabel dos Santos tal como o lusa Salgado continua a poder movimentar-se livremente entre países, por exemplo, embora a sua vida tenha sofrido alguns desaires para ela e a sua familia 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.