Home Activismo Como vêm o PSD de Rio acha que os Açores…não são bem Portugal! ( e a culpa não é de MRSousa?)

Como vêm o PSD de Rio acha que os Açores…não são bem Portugal! ( e a culpa não é de MRSousa?)

por Joffre Justino

Era impossível.”, no continente ( como dizia o Alberto João da FLAMA) Rui Rio não aceita  Governo do PSD com o Chega, o PCP ou o BE mas o Líder do PSD garante que o acordo para formar Governo nos Açores ficou no arquipélago, que como sabemos, ( lembremos a FLA..) não é lá muito bem … Portugal! 

Deixamos um desafio – qual dos dois, FLA ou FLAMA, procurou o apoio da Líbia dd Gadafi? ( daremos um prémio a quem acertar!) 

Enfim Rui Rio, nesta quarta-feira diz, piorando a gaffe onde se meteu que é “impossível o PSD fazer um Governo com a participação da extrema-esquerda e da extrema-direita”, especificando que nele “nunca entrariam o PCP, o BE e o Chega” admitinfo eventuais acordos parlamentares com estes partidos se pedirem “aquilo que está perfeitamente coerente e coincidente” com o programa do PSD…mas como sabem Rui Rio e o PCP na CMPorto…. 

Em entrevista à TVI, e no meio  da polémica imposta pelo acordo entre PSD e Chega que permitiu a viabilização de um Executivo nos Açores como vemos Rui Rio meteu pés nas mãos no pés … 

Diz ele agora que a culpa é do pré-candidato MRSousa que através do representante da República nos Açores “exigiu preto no branco um suporte parlamentar”, ( um pouco na linha do documento escrito exigido por Cavaco Silva não acham?) O que não foi conseguido pelo PS/Açores e que acabou por abrir caminho ao PSD açoriano para procurar uma solução governativa, … pensávamos nós que o regime era parlamentar semipresidencialista …mas não já será presidencialista numa revisão constitucional que nos escapou!

E lá vêm as quatro reivindicações do grupito do sr. Ventura que têm o acordo de Rio!

Assim comecemos pela redução da “subsidiodependência nos Açores”, que Rio acha que “Eu estou a dar a cara, estou de acordo”, revela, sobre o objetivo de reduzir o número de pessoas que “vivem de um subsídio do Estado”, sublinhando a necessidade de criar emprego…. e la se vai o conceito da União Europeia de Região Ultraperiférica como fica por esclarecer … e então a Região Autónoma da Madeira a mais endividada do país “à Alberto João”, porque não ver o PSD a atacar a subsídio-dependência madeirense? 

Diz Rio que, “é preciso fiscalizar melhor quem está com o rendimento mínimo”, mas nada dizendo da estrada paga por nós para a casa da ama dos filhos de Alberto João? 

Depois vem a reivindicação de “combater a corrupção”, com a qual Rio diz também concordar, nada dizendo sobre as denuncias de Mariana Mortágua sobre os dinheiros que chegam ao grupito do sr Ventura. 

Depois a  “proposta de redução do número de deputados regionais”, que também colhe o apoio do líder do PSD e que definitivamente torna o contrato Rio / sr. Ventura num de âmbito nacional porque do assim se reduz o numero de deputados!

E claro last but not least vem  o reforço da autonomia, “que aparece sempre”… ah a FLA sempre a FLA … 

O PSD perdeu o Norte o Leste o Oeste e o Sul e anda com uma bússola em desarranjo total! Mas na verdade há já muito tempo! .., e nao aprendeu após tantos anos de Democracia pois constitucionalistas são o PS, a UDP/BE, o PCP o PSD mas nao o CDS com quem governou quase sempre! 

E citamos, das atas, 

           Os Srs. Deputados que votam contra, fazem favor de se levantar.

(Levantam-se os Deputados do CDS.)

Uma voz:- Reaccionários!

O Sr. Presidente:- Pede-se a atenção da Assembleia.

É um momento suficientemente emocionante para não justificar certas intervenções.

Pausa.

Muito obrigado.

Os Srs. Deputados que desejam abster-se, fazem favor de se levantar.

Pausa 

Os Srs. Deputados que votem a favor, fazem o favor de se levantar.

(Levantam-se todos os Deputados, excepto os do CDS)

Aplausos vibrantes e prolongados de pé.

Vivas à Constituição.

É entoado o Hino Nacional por toda a Assembleia.

Uma voz: – Viva Portugal!

Vozes: – Viva!

Aplausos prolongados.

O Sr. Presidente: – Vai anunciar-se o resultado da votação.

O Sr. Secretário (António Arnaut): – Srs. Deputados: Votaram contra o articulado da Constituição quinze Deputados do CDS. Não houve abstenções. Todos os restantes Deputados, incluindo os Deputados independentes e o Deputado de Macau, votaram a favor do articulado da Constituição da República Portuguesa.

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.