Home Opinião O Covid-19 em Portugal na União Europeia e no Mundo

O Covid-19 em Portugal na União Europeia e no Mundo

por Joffre Justino

Portugal tem hoje mais três mortos relacionados com a covid-19 e 691 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), sendo que esde o início da pandemia Portugal já registou 1.931 mortes e 71.156 casos de infeção.

Duas das mortes foram registadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, onde também se verifica o maior número de infeções, e o outro óbito foi registado na região Centro e o número de internamentos continuou a subir nas últimas 24 horas, registando-se mais 17, num total de 588 doentes internados com covid-19, assim como os doentes colocados nas unidades de cuidados intensivos, que segundo os últimos números são 85(mais oito).

Entretanto o  Centro Europeu de Prevenção e Controlo de Doenças (ECDC) colocou esta quinta-feira Portugal num grupo de Estados com “tendência preocupante” de casos de covid-19, mas com “risco moderado”.

O  ECDC aponta que os casos positivos de infeção com o novo coronavírus, que provoca a doença covid-19, aumentaram de forma sustentada em toda a União Europeia desde agosto, pelo  que “as medidas tomadas nem sempre foram suficientes para reduzir ou controlar a exposição”, advertindo que “é por isso crucial que os Estados-membros implementem todas as medidas necessárias aos primeiros sinais de novos surtos” podendo –se dizer que as intervenções não farmacêuticas tais como distanciamento físico, higiene e uso de máscaras se revelaram insuficientes para reduzir ou controlar a exposição ao coronavírus.

Andrea Ammon, acentuou que, “até haver uma vacina segura e eficaz disponível, estas medidas continuam a ser a principal ferramenta de saúde pública para controlar e gerir os surtos” de covid-19.

Entretanto o ECDC dividiu os Estados-membros em três grupos: aqueles que apresentam uma “tendência estável e um risco reduzido”, os que têm uma “tendência preocupante, mas um risco moderado” e os que evidenciam “uma tendência preocupante e um risco elevado”.

Portugal está  no subgrupo com tendência preocupante, mas com um risco considerado moderado, os países onde são notificadas taxas [de infeção] elevadas e crescentes devido às elevadas taxas de testes realizados, e a transmissão é notificada prioritariamente em indivíduos jovens, com uma baixa proporção de casos graves e baixas taxas de notificação de 

 
#Country,
Other
Total
Cases
New
Cases
Total
Deaths
New
Deaths
   Total
Tests
Tests/
1M pop
Population
World32,150,662+64,358982,861+1,580  
1USA7,141,923+2,370206,616+23  100,588,157303,477331,452,210
2India5,737,197+7,01391,204+31  67,436,03148,7561,383,122,931
3Brazil4,627,780139,065  17,900,00084,074212,908,548
4Russia1,128,836+6,59519,948+149  43,900,000300,790145,949,102
5Colombia784,26824,746  3,499,13668,60151,007,347
6Peru782,69531,870  3,751,583113,42133,076,571
7Mexico710,049+4,78674,949+601  1,620,87812,541129,243,704
8Spain693,55631,034 66411,820,505252,79646,759,015
9South Africa665,18816,206 2724,083,75768,65859,479,626
10Argentina664,79914,376 

morte.

“Tal representa um risco geral moderado de Covid-19 para a população em geral e para a prestação de cuidados de saúde. No entanto, é de notar que, se se verificar um elevado volume de transmissão ao longo de várias semanas, a proteção dos indivíduos vulneráveis é um desafio, e visto que o impacto da doença nestes grupos é muito elevado, o risco para esta população continua a ser muito elevado”.

Este subgrupo inclui Áustria, Dinamarca, Estónia, França, Irlanda, Luxemburgo, Holanda, Noruega, Portugal, Eslováquia, Eslovénia e ainda o Reino Unido.

Os Estados que apresentam atualmente um risco mais elevado são a Bulgária, Croácia, República Checa, Hungria, Malta, Roménia e Espanha.

“A nova avaliação de risco de hoje mostra-nos claramente que não podemos baixar a nossa guarda. Com alguns Estados-membros a registarem um maior número de casos do que durante o pico de março, é perfeitamente claro que esta crise não está atrás de nós”, comentou a comissária europeia da Saúde, Stella Kyriakides, numa conferência de imprensa conjunta com a diretora do ECDC.

A comissária advertiu que a Europa enfrenta agora “um momento decisivo, e todos têm de agir com determinação e utilizar os instrumentos ao seu dispor”.

“Isto significa que todos os Estados-Membros devem estar prontos para lançar medidas de controlo imediatamente e no momento certo, logo ao primeiro sinal de potenciais novos surtos. Esta pode ser a nossa última oportunidade de evitar uma repetição da Primavera passada”, alertou.

No quadro apresentamos os dez países com maior incidência de Covid-19 onde estão as Espanhas e onde são dramaticamente relevantes os EUA, a União Indiana e o Brasil! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.