Home Espanhas O “rei emérito” foge da justiça e esta que impôs mais de 100 anos de cadeia ao dirigentes catalães assobia para o lado!

O “rei emérito” foge da justiça e esta que impôs mais de 100 anos de cadeia ao dirigentes catalães assobia para o lado!

por Joffre Justino

Lembremos antes do mais os catalães, recordando alguns dos presos politicos! 

Oriol Junqueras (Ex-vice-presidente da Generalitat) da Esquerda Republicana Catalã 

13 anos de prisão

Jordi Turull (Ex-porta-voz da presidência da Generalitat)

12 anos de prisão

Raul Romeva (Ex-conselheiro das Relações Exteriores)

12 anos de prisão

Joaquim Forn (Ex-conselheiro do Interior)

Dolors Bassa (Ex-conselheira do Trabalho e Assuntos Sociais)

12 anos de prisão

Josep Rull (Ex-conselheiro de Território e Sustentabilidade)

10 anos de prisão

Carme Forcadell (Ex-presidente do parlamento)

11 anos e meio de prisão

Jordi Sánchez (Presidente da organização Assembleia Nacional Catalã)

Nove anos de prisão

Jordi Cuixart (presidente da associação Òmnium Cultural)

Nove anos de prisão

Claro que hoje o Supremo Tribunal Federal já indeferiu o pedido da asdociação politica catalã Òmnium Cultural que exigia a adoção de medidas cautelares contra o dito rei ermérito porque o sistema processual não permite que tais providências sejam tomadas quando a pessoa não tem a condição de investigada como é o caso por Juan Carlos I visão bastante duvidosa do caso dd corrupção 

“O nosso sistema processual não contempla a adoção de medidas cautelares com relação aos que não tenham o status de investigado”, indica a decisão do Supremo Tribunal Federal, cujo Ministério Público assumiu a investigação do suposto pagamento de comissões na construção do AVE a Meca ao verificar que uma das pessoas que poderia estar envolvida nos eventos seria Juan Carlos de Borbón argumento mais que ridículo e que só justifica os aeroportos abertos para a figa deste aliás confesso ladrão! 

Daí que Jaume Asens, presidente do grupo parlamentar Unidas Podemos-En Comú Podem-Galicia en Común no Congresso de Deputados, deu esta quinta feira mais um passo na aberta  divisão no seio do Governo de coligação das Espanhas dada a fuga do cidadão Juan Carlos Bourbon e garantiu que pedirá a comparência de dito rei Felipe no Parlamento para que explique o sucedido esta semana.

O Unidas Podemos, queixa-se de não ter sido informado de las conversações que possibilitaram la fuga do dito rei emérito geridas por Pedro Sánchez, Carmen Calvo e Iván Redondo, director de gabinete do presidente do governo 

Asens entende e bem que as  circunstâncias e o momento em que sucede esta saída das Espanhas de Juan Carlos permitem que ante a opinião pública se asemelhe a “uma fuga” e que houve un “acto de deslealdade” del presidente del governo, Pedro Sánchez, junto  dos parceiros de governo, ao não os informar nem fazer partícipes dessa  decisão.

Entretanto Sanchez responde à crise com uma carta aos militantes do PSOE onde espantemo-nos defende a monarquia parlamentar como elemento esencial da Constituição ao que  Asens recordou  que ser leal à Carta Magna también implica exigir transparência a todas as instituições afirmando que “nadie está por encima de las leyes”.

Sanchez acabou assim de matar o velho histórico socialista republicano PSOE ! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.