Home Opinião Há claro problemas a resolver no seio das Esquerdas face a Angola

Há claro problemas a resolver no seio das Esquerdas face a Angola

por Joffre Justino

A unidade das Esquerdas nao pode escamotear verdades e a primeira de todas é que o MPLA nunca foi um partido das Esquerdas apesar de ter tido varios dirigentes das Esquerdas porque sempre foi uma frente política liderada pela pequena burguesia urbana que alias muito pouco se dedicou à luta armada mesmo quando se exilou e rápido se centrou na direita neo liberal no pós Independência!

E pior, o exemplo do MPLA em Angola serviu somente para destruir as Esquerdas possíveis em Angola sendo hoje particularmente dificil, por tal, assumir em Angola uma militância de Esquerda, que o digam os meus amigos do Bloco Democrático e os das Esquerdas ainda dentro da UNITA e do MPLA

Infelizmente o secretário-geral do PCP, Jerónimo de Sousa, defendendo-se à volta do papel que as entidades reguladoras portuguesas deveriam ter,  “…um trabalho a cumprir” na investigação do caso ‘Luanda Leaks’, num quadro de respeito pela “legalidade angolana”, legalidade feita por uma casta totalitaria, neo liberal e exploradora como poucas em África, mesmo que seja verdade que as entidades reguladoras em Portugal todas elas a começar pelo Banco de Portugal sempre tenham preferido atacar o frágil o cidadão da oposição como os membros e dirigentes da UNITA e deixado seguir em frente lavagens de dinheiros corrupções aquisições ilícitas de bens e organizações em Portugal.

“O PCP não comenta alegações vindas a público, considerando antes que existem entidades, designadamente a regulação e supervisão, que têm um trabalho a cumprir e a concretizar. Nesse sentido, que averiguem se existe ilicitude ou ilegalidade e, em conformidade com isso, essas entidades que ajam. Senão, perguntamos o que é que estão lá a fazer? De repente descobriram? O quê?”, questionou o líder comunista e se a pergunta é boa ele deveria voltar-se também diga-se para o PCP entidade que com o seu grupo parlamentar e eleitos locais são também reguladores das relações até as internacionais ainda que menos fiscalizadoras 

“As questões de Angola dizem respeito aos angolanos em primeiro lugar, e devemos estar unidos para que, à luz do nosso interesse nacional, se mantenham relações de amizade e de cooperação com Angola em beneficio do povo português e do povo angolano”, defendeu esquecendo infelizmente as em Portugal lavagens de dinheiros do Povo Angolano!

E por isso nao basta como fez infelizmente o líder comunista que foi colocar a investigação do caso que envolve a filha do ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos na esfera dos reguladores e da supervisão financeira pois há exploração dos Povos a resolver no caso que envolve o clã dos Santos… 

“Criam-se entidades com responsabilidades, se elas depois não atuam, há aqui um problema, e o problema não é o governo, começa nesses órgãos de regulação e de supervisão”, disse bem o líder do PCP.

Jerónimo de Sousa disse acreditar que a justiça “atuará em conformidade” com as provas apuradas, “designadamente pelo próprio Banco de Portugal e outras entidades reguladoras”, para que se dê início a um eventual processo na justiça.

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.