Home Nacional Entre sondagens e criticas socialistas

Entre sondagens e criticas socialistas

por Joffre Justino

“Gostaria, no entanto, de 

recordar que essa maioria 

absoluta foi a única que o 

PS obteve em democracia; 

que esse Governo conseguiu, 

em dois anos, tirar o país do

défice excessivo em que se 

encontrava e, no mesmo 

período, alcançar o maior 

crescimento económico 

verificado nesses anos difíceis

 (2007); que esse Governo fez 

das energias renováveis uma 

prioridade política; que esse

 Governo fez o programa escola 

a tempo inteiro, as novas 

oportunidades e iniciou a 

requalificação das escolas 

secundárias; que esse Governo

 fez o maior aumento da 

percentagem de investimento 

em ciência; que esse Governo 

fez da balança tecnológica um 

saldo positivo; que esse Governo 

fez uma reforma da Segurança 

Social, mantendo-a pública, 

forte e sustentável; que esse 

Governo propôs e ganhou o 

referendo do aborto; que esse 

Governo fez o complemento 

solidário de idosos, fez as 

unidades de cuidados continuados, 

fez as unidades de saúde familiar

 — e ainda teve tempo de concluir 

o Tratado de Lisboa e ganhar as 

eleições de 2009, já no meio da 

maior crise económica mundial.”

( jose socrates in Expresso) 

Na verdade “a luta aquece”, mas internamente ao PS perante gaffes sucessivas de dirigentes do PS que se entusiasmam com esse vislumbrar via sondagens de uma mirifica maioria absoluta!

Como disse e repito as vezes que forem necessárias eu apoiei o essencial  da governação reformista de Socrates e critiquei as posições de BE e PCP face ao PEC IV que deram origem ao desastre passospórtista, como aliás defendi e defendo o que de positivo e reformista fez o atual governo 

No entanto, está gostem ou nao os da esquerda liberal o seu reformismo está nao só esgotado mas a entrar ja no campo do bloqueamento do necessario progressismo que dê animo a uma sociedade e a uma economia que se quer dinâmica e progressista 

Tal constata-se na não evolução salarial na desarticulação do tecido essencial da Negociação Coletiva de Trabalho, na crescente concentração da riqueza, no autoritarismo absurdo nas relações económicas, no bloquear da economia solidaria substituida pelo caritativismo serôdio de uma doentia opusdei

Mas o certo mesmo e a realidade é para ser assumida é que o discurso de afastamento entre as Esquerdas ganha novos foros de cidadania à medida que as selfies de MRSousa derrotam e esvaziam a Direita  como a sondagem abaixo releva 

Assim, em abril o PS caminhava com dificuldade nos t 37,2% das intenções de voto, e agora neste estranho e global agosto está na orla 43,6%, da maioria absoluta sendo que de julho para agosto, o PS cresce mais 0,4 %, com o PSD em desastre acelerado ao ponte de perder de  abril a agosto, 5,2 %, passando de 25,6% para 20,4%, nesta recente sondagem da Pitagórica para a TSF e para o JN.

E o que sucedeu na Europa já, uma renovação partidaria, mas tanto à Direita quanto à Esquerda com o afundamento de partidos classicos para surgirem outra Esquerdas por cá, para já poder vir a parecer ser um fenómeno novo por se concentrar à Direita, como o aparecimento de novos partidos como a Aliança e o Iniciativa Liberal, IL, que não surgem no campo da ultra e extrema Direita mas sim no centro Direita ao contrario do Vox espanhol ou do AfD alemão o da sra LePen francesa  

É assim que o Aliança de Pedro Santana Lopes parece poder eleger deputados com os 1,5% nacional e os mais de 2% no Porto de intenções de voto, e a Iniciativa Liberal de Carlos Guimarães Pinto com 1,3% nacional e os mais de 2% tambem no Porto!

Poucochinho dirão mas o suficiente para tirarem qualquer margem de continuidade da lidersnça de Rui Rio no PSD, a nao ser que consiga colar-se a um PS que se afasta de novo das Esquerdas  e com um CDS que cai para de novo o partido taxi com 4,9% mostrando como o discurso da opusdei não cola em Portugal depois dos 48 anos e salazarentos opusdeistas anos !

Para meu desgosto à esquerda, quem também ganha força força são os 10% do Bloco de Esquerda, face aos 6,6% da CDU tendo baixado em agosto 0,2 %

Diz ainda esta sondagem que por região  o PSD de Rui Rio não vai além dos 12,9% em Lisboa, menos de metade dos 29,3% do PS mas no grande Porto, o PSD mantém-se apesar do Aliança e do IL nos 25%, ligeiramente acima dos 23% do PS.

Nesta sondagem de agosto, a taxa dd indecisos está nos 18% o que é baixa 

Não nos parece impossível pois uma maioria absoluta do PS a não ser que Socrates ainda tenha peso no PS e lhe trave essa maioria absoluta que como diz bem um Jeronimo de Sousa que nao resvala nos enervamentos de Catarina Martins e se mantém na adequada linha do estamos aqui para políticas das Esquerdas!

Nos também e a teimar que ha que votar Esquerdas ( onde incluímos o PAN) mas a preferir em alguns de nós uma CDU que com a CGTP se bate seriamente por uma essencial Democracia económica que Vieira da Silva e a Esquerda liberal do PS querem destruir num tempo onde a inovação tecnológica destrói aceleradamente postos de trabalho e rendimentos 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.