Home Cultura Poesia : A Luz

Poesia : A Luz

por Editor

A luz tem presença,

Ninguém a pode ignorar nem esperar

Que os raios se extingam…

Raios direitos e diretos diferindo dos passos ziguezagueados  dos homens, dos nomes chamados… aclamados pelo inexplicável.

E alguns persistentes investigam, mastigam,

As saudades; as verdades adulteradas

Pelas sombras surripiantes das cores das flores que não murcham com a secura…

A luz é luz …

Ilumina o caminho da humanidade relegada

Para um plano inexistente, pois; a obsessão pelo poder sabe esconder o brilho do horizonte. .. 

Misturado com o abismo…

A luz também cresce…

Emerge no tempo onde a corrente da vida tem as águas turvas por causa da falsidade…

Mas a luz tem raios não ziguezagueados…

Os raios são directos e direitos….

Paulo Seco

21-01-2002

Paulo Seco de Oliveira, nascido em Luanda, Angola, a 20/06/1974. Em Portugal conclui o Ensino secundário na Escola profissional de Ofícios Artísticos em Vila Nova de Cerveira. Em 1995 entra para a Faculdade de Belas Artes da UP no curso de Design de Comunicação. Em 1997 muda de curso para ingressar na Escola Superior Artística do Porto (ESAP) a fim de concluir um projecto de fotocomposição. Não conseguindo conciliar o trabalho com os estudos, dedica-se então ao mundo do trabalho onde acumula experiências transversais em quase tudo o (e tantas) que fez para viver. 

A escrita e a contemplação sempre incrustadas na alma são sinais inexplicáveis da sua travessia na existência. 

0 comentário
3

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.