Nesta quinta a porta-voz de JxCat no Congresso, Laura Borràs, alertou para a possibilidade do acordo entre a ERC e o PSOE pressupor  uma “fractura"" no Governo o que poderã  originar  eleições  antecipadas na Catalunha.

A líder de JxCat reiterou a rejeição ao acordo feito  entre a ERC e o PSOE porque considera que os socialistas já  negaram em  reiteradas ocasiões que se possa  debater a autodeterminação à mesa de negociações e também acentuou que o acordo  implique o Governo pois a  JxCat não conhece  os seus detalhes: ""Não se pode falar  de uma mesa negocial entre governos se o parceiro maioritario do Governo não sabe nada dessa mesa"". 

Por isso Laura Borràs assegurou numa entrevista à RNE, que o presidente de la Generalitat, Quim Torra, só participará na mesa de negociações entre governos se  os  ""termos"" do acordo entre republicanos e socialistas forem do seu acordo pois disse Borràs, não se pode  ir a una ""cita a ciegas"" nem a ""cronificar el conflicto"".

Numa  outra entrevista à Rac1, Borràs acentuou  que será necessário ver que ""consecuencias"" tem  este acordo e a abstenção da ERC na investidura de Pedro Sánchez, e reconheceu que num  governo de coligação como o da Generalitat existe sempre a possibilidade de se avançar para eleições se há  uma rotura  entre ambos as partes. 

""O que  é  raro é que um parceiro de governo queira  dar estabilidade ao governo  espanhol e dê origem  a instabilidade no Governo catalão"", afirmou em alusão à ERC.

A CUP-PR reafirmou entretanto o seu Não ao presidente do Governo em funções, Pedro Sánchez, e já declarou que  o acordo  entre o PSOE e a ERC “contribuirá para dar asas à repressão, para reforçar a deriva recentralizadora do  Estado e a vulnerabilidade  sistemática das direitas "", impedindo o  avançar na  libertação nacional, social e de género.

Outra causa para que se antecipem eleições na Catalunha poderá  ser a inabilitação  do presidente da Generalitat, Quim Torra.

Torra já advertiu que recusará  qualquer  inabilitação  não decidida pelo Parlamento como estabelece  o Estatuto: ""No permitiré, ni aceptaré, que un tribunal -y aún menos una junta política-- suplante la soberanía de los catalanes"" disse Torra non seu discurso de Fim de Ano.


*) Considere apoiar o “Estrategizando” com contribuições trimestrais de 18 euros, semestrais de 36 euros ou anuais de 60 euros, utilizando as informações bancárias fornecidas. O seu apoio é fundamental para continuarmos a informar e analisar questões críticas como esta.

NIB: 0036 0170 9910 0117 6978 7

ou

Entidade: JOFFRE JUSTINO

IBAN: PT50 0036 0170 9910 0117 6978 7, SWIFT: MPIOPTPL (solicitamos também o envio de um e-mail para editor@estrategizando.pt com o nome, o endereço e o seu comprovativo do valor da transferência realizada).