4 Dezembro, 2022

Estrategizando

Notícias, Reflexão e Ação.

Morreu Nagrelha Kudurista angolano

Até na morte viveu em sucesso ao ponto da polícia angolana ter tido de dispersar com gás lacrimogéneo os seus fãs gerando um morto e 30 feridos entre eles 16 polícias na generalidade mplistas nas imediações no cemitério de Santa Ana, onde será sepultado esta terça-feira o músico kudurista ‘Nagrelha’.

Na verdade as cerimónias fúnebres do músico, que morreu na sexta-feira, atraíram uma multidão de milhares de angolanos no que foi até hoje o maior funeral de sempre em Luanda ao ponto do repórter de imagem da agência Lusa Marcos Focosso ter contado à TSF que viu “pessoas desmaiadas” e “sangue espalhado pelo chão” até porque “A população decidiu arrombar o cordão que a polícia havia posto ali e começou a confusão.”, com os feridos a serem assistidos pelos bombeiros.

Marcus Focosso fez na TSF um retrato do que está a acontecer no local do funeral, “Nunca se realizou algo igual, é muita gente, nunca vimos algo assim”, afirma, equiparando o funeral do músico kudurista ‘Nagrelha’ ao de Agostinho Neto.

Esta manhã havia ainda centenas de pessoas no Estádio da Cidadela, onde decorreram as homenagens, e de onde saiu um cortejo a pé, em candongueiros e com milhares de motoqueiros em direção ao cemitério de Santa Ana.

A grande concentração de pessoas levou a polícia a intervir, ouvindo-se disparos, já que apesar de estarem mobilizados 800 agentes, a polícia teve dificuldade em controlar os grandes aglomerados com o lançamento de gás lacrimogéneo a provocar uma debandada e muitos desmaios, com muitas pessoas caídas no chão.

Ao longo do cortejo, ouviam-se jovens a chorarem e a gritarem “filho de Zedu”, uma referência ao ex-Presidente angolano José Eduardo dos Santos. Havendo muitos cartazes e quem gritasse “‘Nagrelha’ Presidente, João Lourenço chefe de Estado”.

Gelson Caio Manuel Mendes, mais conhecido como ‘Nagrelha’, o mais célebre cantor do estilo musical kuduro, e bem conhecido mplista morreu aos 36 anos em Luanda devido a um cancro no pulmão, segundo o Complexo Hospitalar de Doenças Cardiovasculares D. Alexandre do Nascimento, onde se encontrava internado e deixamos também um videoclip onde Nagrelha é bem homenageado pela filha de José Eduardo dos Santos, Tchizé dos Santos, que realça o respeito que Nagrelha sempre mostrou ter pela Mulher ao contrário de muitos do regime conhecidos pelo abuso a “cazortinhas”, isto é
Meninas menores transformadas bem cedo em concubinas dessa elite !

E se o vice-governador provincial para o setor Político e Social, Manuel Gonçalves, apelou no domingo a todos os cidadãos e aos kuduristas, em particular, para que mantivessem a serenidade, a fim de manter a ordem pública e evitar distúrbios, viu os seus apelos caírem em saco roto

O Secretariado do Bureau Político do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), partido do artista deixou uma mensagem de condolências, elogiando a forma ímpar e inigualável de ser e estar de “Nagrelha”, que inspirou e mobilizou muitos artistas a aderirem ao estilo kuduro.

Para o MPLA, o músico notabilizou-se como um dos mais carismáticos integrantes do grupo musical Os Lambas, responsável pela introdução de um novo paradigma no estilo musical kuduro, marcado por composições com apreciável rima e elevada capacidade criativa, que catapultaram o grupo ao patamar dos melhores no estilo em referência.

Também o grupo parlamentar da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), principal partido da oposição angolana, endereçou votos de pesar à família, amigos, fãs e ao Ministério da Cultura, considerando ‘Nagrelha’ como um ícone da música popular, especialmente da juventude angolana.

“Carismático, criativo e excêntrico, filho do povo e um dos símbolos da juventude que não se resigna ante as dificuldades sociais e económicas, ‘Nagrelha’ deixa um grande reportório musical que o imortaliza e mantém presente na memória cultural de Angola”, salientou a UNITA.

Numa nota, o ministro da Cultura e Turismo, Filipe Zau, disse que “foi com profunda dor e consternação”, que tomou conhecimento do passamento físico de Gelson Caio Manuel Mendes, de nome artístico “Nagrelha”, do grupo musical “Os Lambas”.

O cantor, considerado o “Estado-Maior do Kuduro”, durante a doença chegou a viajar para o Porto, a procurar apoio para os seus problemas respiratórios, numa luta que durou sete meses.

O emblemático cantor foi autor de vários temas de sucesso, como “Não me Tarraxa Assim”; “Wamona”; “Katronga Violenta”; “Dizumba Grande”; “Banzelo”; “Toque do Nana”; “Comboio” e “Provou e Gostou”, entre outros temas musicais.

“Nesta hora de dor e luto, o Ministro da Cultura e Turismo, Filipe Silvino de Pina Zau, em nome dos responsáveis e funcionários do departamento ministerial, endereça à família enlutada e amigos os sentimentos de pesar”, salienta a nota ministerial.