Home Covid-19 Covid-19 : A solidariedade é coisa tramada

Covid-19 : A solidariedade é coisa tramada

por Joffre Justino

Este pobre país que é a Moldávia, em crise quase permanente, e sem orçamento para adquirir vacinas, só espera receber as primeiras doses no fim de fevereiro em um calendário ainda incerto devido a atrasos burocráticos.

Há 53.300 profissionais de saúde na Moldávia 2050 por 100 mil  ( curiosamente em

Portugal e por causa dos numeros clausus da ordem dos médicos temos 1047 por 100 mil) e temos 57 mil já vacinados enquanto que nenhum foi ainda inoculado na Moldavia.

Segundo o Guardian regista o país moldavo  até ao momento, 158.309 casos confirmados de infeção pelo coronavírus e mais de 3.413 mortes e atenção que apenas são testadas entre mil e três mil pessoas por dia e entre maio e dezembro de 2020, a mortalidade geral na Moldávia aumentou 25% quando comparada com o período homólogo de 2019.

Mas a Ucrânia, a Geórgia e a Arménia ex-países soviéticos e hoje  bons  aliados da Alemanha estão em situação semelhante, considerado uma “falha moral catastrófica”, nas palavras do Diretor-Geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Para adquirir vacinas, estes países dependem inteiramente do programa de Parceria Oriental da União Europeia e do programa Covax, uma iniciativa global de financiamento dos países mais pobres para tornar equitativo o acesso à vacina contra a Covid-19.

A Europa a sua toda vai mal e a UE também não vai lá muito melhor pois a Comissão Europeia insiste no pedido de cumprimento contratual pela Astrazeneca a  farmacêutica anglo-sueca, que desenvolveu uma vacina contra a covid-19 em parceria com a Universidade de Oxford, se lá  aceiou  a divulgação do contrato assinado entre as partes em agosto do ano passado apresenta uma boa parte do texto rasurado impedindo saber, o calendário de entregas por mês com que a Astrazeneca se comprometeu, por exemplo.

Razão provável? A Astrazeneca concordou, nesta primeira fase, vender a sua vacina praticamente a preço de custo, “sem lucros nem perdas” e claro lá se vão  as doses e o calendário de entrega.

Ah este sarilho provocada por esta crença na boa fé das ditas “empresas ocidentais” pondo de lado a vacina russa e a chinesa! … E este vicio na concentração da riqueza…

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.