Home BREXIT UE / Reino Unido, só foi dado o primeiro passo!?

UE / Reino Unido, só foi dado o primeiro passo!?

por Joffre Justino

E pronto, o Reino Unido divulgou no sábado o texto do acordo comercial com a UE, assumido cinco dias antes de sair de um dos maiores blocos políticos económicos e comerciais do mundo.

Na verdade é mais mudança global talvez a mais importante desde a mutação do império para a Commonwealth.

Trata-se de um documento comercial de 1.246 páginas, ao que se adicionam acordos sobre a energia nuclear, a permuta de informações sigilosas, a energia nuclear civil e várias declarações conjuntas.

Este Projeto de Acordo de Comércio e Cooperação UE-Reino Unido” significa que a partir de 23h em 31 de dezembro, quando os britânicos finalmente deixarem o mercado único e a união aduaneira da União Europeia, não haverá tarifas ou cotas sobre o movimento de mercadorias originárias de qualquer um dos lugares entre o Reino Unido e a UE.

Boris Johnson, assumiu que o acordo como sendo a implementação final da vontade do povo britânico, que votou por 52-48% pelo Brexit em um referendo de 2016, enquanto os líderes europeus disseram que é hora de deixar o Brexit para trás havendo um estranho alivio que não pode escamotear uma maior incerteza num futuro onde o Reino Unido ou parte dele pelo menos se aproximará inexoravelmente dos EUA alterando muitos dos cenários a que nos habituamos e em face do incontornável crescimento que se vê na grande potencia que já é a RPChina

“As amizades ficaram tensas, as famílias divididas e nossa política rancorosa e, às vezes, desagradável”, escreveu o

Ministro Gove no The Times, e agora “Podemos desenvolver um novo padrão de cooperação amistosa com a UE, um relacionamento especial se quiserem, entre iguais soberanos”, disse Gove.

Os dois lados finalmente fecharam um acordo comercial na véspera de Natal que reconhece explicitamente que o comércio e os investimentos exigem condições para “um campo de jogo nivelado para concorrência aberta e justa”.

Se, no entanto, houver “divergências significativas” nas regras entre os dois lados, o mesmo pode ser reequilibrado havendo um mediador por cada lado independente de controle de subsídios, embora não tenha ficado imediatamente claro qual órgão faria isso no Reino Unido, que insistiu em ser livre de qualquer jurisdição do Tribunal de Justiça Europeu.

Quanto aos serviços, que representam até 80% da economia britânica, os dois lados simplesmente se comprometem a “estabelecer um clima favorável para o desenvolvimento do comércio e do investimento entre eles”.

Sobre os direitos de pesca, Johnson concordou com um período de cinco anos e meio para implementar novas regras sobre o que os barcos da UE podem pescar nas águas britânicas, depois disso haverá consultas anuais sobre as capturas da UE.

O Reino Unido deixará de participar de organizações de compartilhamento de segurança e bancos de dados como Europol, Eurojust e SIS-II, mas existirá alguma cooperação para o intercâmbio de informações de passageiros e DNA, impressões digitais e dados de registro de veículos.

Os Estados da UE estão ainda a trabalhar para implementar o acordo até 1º de janeiro através de um procedimento acelerado conhecido como “petição provisória”, mas na verdade no plano global a UE com esta saída perdeu parte essencial do seu poder económico e politico global  

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.