Home Business Dois novos restaurantes portugueses no Guia Michelin.

Dois novos restaurantes portugueses no Guia Michelin.

por Joffre Justino

Dois novos restaurantes portugueses no Guia Michelin Ljubomir conquista primeira estrela, Restaurante 100 Maneiras, no Bairro Alto, e o Eneko Lisboa, em Alcântara foram distinguidos.

Comecemos por esclarecer que não vejo com bons olhos essa mania das estrelas Michelin dada uma experiência num dos restaurantes super super in em Lyon com um in in in chef de cuisine e choquemos – antes um bom rancho ou um cozido à portuguesa ou uma bela moamba ou uma deliciosa catchupa! … e em certos dias um adorável bife com batatas fritas e um ovo a cavalo !

Perdoem-me a barbaridade mas tirando as entradas o resto em Lyon… enfim … 

image.aspx.jpg

Ao que vi por aí, Portugal tem restaurantes com estrelas Michelin desde 1910 ( com a I Republica?) e agora tem o país com mais 2 Michelin, os lisboetas ‘100 Maneiras’ e ‘Eneko Lisboa’, distinguidos cada um com uma estrela do Guia Michelin, e  o ‘São Gabriel’ (Almancil) perdeu a estrela que detinha, por ter fechado no final de 2019.

As duas novas estrelas novidades portuguesas do Guia Michelin Espanha e Portugal 2021, foram anunciadas esta noite numa cerimónia virtual a partir de Madrid.

Portugal tem agora um total de sete restaurantes com duas estrelas (‘cozinha excecional, merece o desvio’) e 21 com uma estrela (‘cozinha de grande nível, compensa parar’), mais um do que na edição de 2020.

O restaurante ‘100 Maneiras’ tem o chef Ljubomir Stanisic, famoso por liderar a greve de fome de quase uma semana no âmbito do Movimento “Sobreviver a Pão e Água”, que conseguiu ser recebido pelo Governo para debater soluções para o setor da restauração e similares, perante o desastre da pandemia de covid-19.

O restaurante ‘Eneko Lisboa’, a funcionar em Lisboa desde setembro de 2019, garante assim a estrela Michelin pela sexta vez ao chef basco Eneko Atxa que  “traz a filosofia” do ‘Azurmendi’, perto de Bilbau (três estrelas Michelin – ‘uma cozinha única, justifica a viagem’), fornecendo  “boa comida com matizes locais”, como vem na página oficial do restaurante.

O ‘São Gabriel’, sai do guia ibérico dado o seu encerramento, acontecido em novembro de 2019 pelo seu então responsável, o chef Leonel Pereira, devido à mudança de proprietários.

Portugal não tem nenhum restaurante com a classificação máxima do Guia Michelin, que este ano também manteve o número de três estrelas em Espanha — 11.

Em Espanha, subiram à categoria das duas estrelas três restaurantes — ‘Bo.TiC’ (Corçà, Girona), ‘Cinc Sentits’ (Barcelona) e ‘Culler de Pau’ (O Grove, Pontevedra) — e 19 alcançaram a primeira estrela.

No total, o Guia Espanha e Portugal 2021 contempla 11 restaurantes com três estrelas 38 com duas estrelas (três novos) e 203 com uma estrela (21 novos).

Noutra categoria do Guia Michelin, os ‘Bib Gourmand’ (uma ótima relação qualidade/preço), há cinco novidades em Portugal: ‘Avista’ (Funchal), ‘CHECK-In Faro’ (Faro), ‘O Javali’ (Bragança), ‘O Frade’ (Lisboa) e ‘Semea by Euskalduna’ (Porto).

No conjunto dos dois países, há 53 novos restaurantes nesta categoria, perfazendo um total de 300 estabelecimentos.

Há ainda 105 novos estabelecimentos que recebem a distinção ‘O Prato Michelin’, uma categoria lançada em 2017 e que “constata uma cozinha de qualidade e representa um reconhecimento do trabalho e serviço oferecido nessa casa”. 

No total, há 880 restaurantes na Península Ibérica com esta classificação.

Eis a lista dos restaurantes portugueses distinguidos pelo Guia Michelin em 2021:

Uma estrela:

  • 100 Maneiras (Lisboa, chef Ljubomir Stanisic)
  • A Cozinha (Guimarães, chef António Loureiro)
  • Antiqvvm (Porto, chef Vítor Matos)
  • Bon Bon (Carvoeiro, chef Louis Anjos)
  • Eleven (Lisboa, chef Joachim Koerper)
  • Eneko Lisboa (Lisboa, chefs Eneko Atxa e Lucas Bernardes)
  • Epur (Lisboa, chef Vincent Farges) — novidade
  • Feitoria (Lisboa, chef João Rodrigues)
  • Fifty Seconds by Martín Berasategui (Lisboa, chef Filipe Carvalho) – novidade
  • Fortaleza do Guincho (Cascais, chef Gil Fernandes)
  • G Pousada (Bragança, chef Óscar Gonçalves)
  • Gusto by Heinz Beck (Almancil, chef Libório Buonocore)
  • LAB by Sergi Arola (Sintra, chef Sergi Arola e Vlademir Veiga)
  • Largo do Paço (Amarante, chef Tiago Bonito)
  • Loco (Lisboa, chef Alexandre Silva)
  • Mesa de Lemos (Viseu, chef Diogo Rocha) — novidade
  • Midori (Sintra, chef Pedro Almeida)
  • Pedro Lemos (Porto, chef Pedro Lemos)
  • Vista (Portimão, chef João Oliveira)
  • Vistas (Vila Nova de Cacela, chef Rui Silvestre) — novidade
  • William (Funchal, chefs Luís Pestana e Joachim Koerper)
  • Duas estrelas:
  • Alma (Lisboa, chef Henrique Sá Pessoa)
  • Belcanto (Lisboa, chef José Avillez)
  • Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira, chef Rui Paula) — novidade
  • Il Gallo d’Oro (Funchal, chef Benoît Sinthon)
  • Ocean (Alporchinhos, chef Hans Neuner)
  • The Yeatman (Vila Nova de Gaia, chef Ricardo Costa)
  • Vila Joya (Albufeira, chef Dieter Koschina)

Há uma relação de marketing entre as estrelas para a cozinha e a marca de pneus Michelin sendo a ideia concebida em 1900 por André Michelin, o fundador da Compagnie Générale des Établissements Michelin, a famosa marca de pneus.

No desenvolver da revolução automóvel, André Michelin para promover o turismo automóvel criou um roteiro que reunisse um grupo de restaurantes e hotéis de qualidade para o público-alvo e com tal André Michelin estava a criar um elo de ligação afetivo com o mercado de pneus.

Em Portugal e Espanha, o guia distingue atualmente um total de 188 restaurantes, dos quais 23 com duas estrelas (‘mesa excelente, merece um desvio’) e oito com três estrelas (‘cozinha de nível excecional, que justifica a viagem’, todos em Espanha). 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.