Home Direitos e Deveres Antonio Nunes do Observatório da Segurança, põe em causa responsável da PSP Magina da Silva

Antonio Nunes do Observatório da Segurança, põe em causa responsável da PSP Magina da Silva

por Joffre Justino

O presidente da OSCOT, António  Nunes, foi à TVI pôr em causa e bem o diretor da PSP Magina e possivelmente o candidato a PR MRSousa pois as declarações do responsável da PSP foram feitas após audiência com o PR também candidato a PR !

Na verdade, é muito pouco provável para quem conhece os antecedentes de MRSousa ( Paulo Portas dixit) que o responsável da PSP, Magina tenha avançado para a asneira sem ter um “empurrãozito” do já candidato MRSousa que continua na sua anti constitucional vertigem presidencialista!

Eduardo Cabrita assumiu o óbvio – um responsável da PSP não tem autoridade para enquanto tal, assumir os percursos de uma reforma política e não só técnica das forças de segurança do país e não propriamente dos produtores de tremoços respeitáveis que são!

Era de boa regra de convivência institucional que o candidato a PR ( e PR) viesse a terreiro desmentir o responsável da PSP ou no mínimo clarificar qual a sua visão não o sobre a reforma das forças de segurança mas sobre a autoridade que o responsável da PSP tinha para entrar num debate político a desenvolver-se no plano institucional 

Na verdade o MAI recordou que uma reforma das forças de segurança envolvem o PM, o MAI o MNE e o Min da Justiça pelo que ainda menos se entende a intervenção do sr Magina na presidência da República! 

A terreiro veio o sindicato dos inspetores dos SEF pela voz de Acácio Pereira rejeitar possíveis  extinções ou fusões dos SEF e defender que o assassinato do ucraniano Ihor não revela uma circunstância sistémica mas sim pontual o que é sinceramente uma muito limitada visão do vivido no interior dos SEF como também  da PSP no mínimo pois o caso do assassinato do agente da PSP em Évora por um guarda prisional outra área dos agentes de segurança mostra como há muito a refletir sobre o estado de todas as forças de segurança!

É de realçar que o ato que o agente da PSP Antonio Pinto Doce tentou travar em Évora era um ato de Violência Doméstica situação do foro social que é tratada ( pelo menos em informação disponível) em quase todas as esquadras da PSP e é em si uma prova da eficácia das e dos que lidam com este tema dentro e fora das esquadras, mas por outro lado aponta o dedo para as restantes forças de segurança! 

Urge lidar com estes casos a montante das circunstâncias que os permitem – a insuficiente formação Cívica e de Direitos Humanos em particular – e como muito bem referiu o responsável do sindicato dos policias ASPP lidar com discrição quanto a falada reforma das forças de segurança em vez deste habitual “vale tudo” de MRSousa! 

E o videoclip que deixamos abaixo mostra um exemplo de como as prisões são um erro sociológico o que explica ( circunstâncias terminais que envolvem uma parte central das atividades de segurança destas forças) por exemplo uma parcela da violência do guarda prisional que assassinou o agente da PSP em

Évora e também a violência bem brutal que caiu sobre o ucraniano assassinado no aeroporto Humberto Delgado 

Há mais que fazer nascer uma “policia nacional” única urge lançar um debate nacional sobre o papel das forças de segurança e os Direitos Humanos em Portugal sabendo-se que por cada 100 mil habitantes, Portugal tem 451 polícias, um número que está acima dos 318 que constituem a média europeia valendo recordar que nos países nórdicos, a Finlândia tem 137 e a Suécia 203! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.