Home Business 403 mil pessoas desempregadas em Portugal! Empresas em colapso

403 mil pessoas desempregadas em Portugal! Empresas em colapso

por Antonio Sousa

Os dados divulgados esta quinta-feira pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) mostram que o número de desempregados aumentou 34,5% face mês de outubro do ano passado e no turismo o aumento foi de 83%.

O número de desempregados aumentou em 103.535 pessoas, face ao período homólogo de 2019 afirmando o IEFP que, “no fim do mês de outubro de 2020, estavam registados, nos Serviços de Emprego do Continente e Regiões Autónomas, 403.554 indivíduos desempregados” o que  “representa 71,8% de um total de 561 829 pedidos de emprego”, diz o IEFP.

O IEFP explica que “para o aumento do desemprego registado, face ao mês homólogo de 2019, variação absoluta, contribuíram todos os grupos do ficheiro de desempregados, com destaque para as mulheres, adultos com idade igual ou superior a 25 anos, os inscritos há menos de um ano, os que procuravam novo emprego e os que possuem como habilitação escolar o secundário”.

Ainda  “o desemprego aumentou nos três setores de atividade económica face ao mês homólogo de 2019. Este aumento registou maior expressão no sector serviços”, com um aumento de 42,3%.

E, dentro dos “serviços”, as subidas mais acentuadas foram na atividades de “Alojamento, restauração e similares” com mais 83,1% de desemprego do que no ano passado, no total, o setor do alojamento está com 40557 profissionais no desemprego quando no ano passado eram 22148; seguem-se os “Transportes e armazenagem” (+63,3%) e “Atividades imobiliárias, administrativas e dos serviços de apoio” (+49,9%).

É esta economia desarticulada em crescendo que nos deveria preocupar pois este desemprego acompanha não uma reestruturação por razões tecnológicas ( essa está ainda para vir..) mas o fracasso das organizações face à pandemia ! 

O problema para que uma sustentabilidade aconteça é o refletir-se sobre um modelo ele também inadequado centrado na gestão autoritária, concentracionária no plano da distribuição da riqueza e em nada em geral consentânea com a inovação e a gestão do Knowhow interno.

Em Portugal deu-se de barato que a Responsabilidade Social das Organizações é sinónimo de caritativismo e propaganda exarcebada em cima do mesmo como se entende que concertação social significa umas conversatas à mesa e o bloquear da negociação coletiva de trabalho a par do pôr fim a comissões de trabalhadores ( a não ser que as mesmas dêem jeito para bloquear os sindicatos) e claro nem ouvir falar das Comissões de Higiene Saude e Segurança no Trabalho!

O drama é que com salários de miséria as familias estão a atingir o limite e as empresas pagam pois as famosas “exportações” baquearam com a pandemia global! 

Alargar os prazos de entrada e saída das empresas, reduzir os horários diários e semanais de trabalho reforçar o papel das Comissões de Higiene Saude e Segurança no Trabalho e libertar a negociação coletiva de trabalho e incentivar a cooperação inter empresarial eis a solução 

Para o desemprego e para a pandemia! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.