Home Covid-19 A Restauração a ficar sem clientes nesta segunda vaga de Covid-19

A Restauração a ficar sem clientes nesta segunda vaga de Covid-19

por Nardia M

Um inquérito de uma associação do setor revela aumento dos restaurantes em risco de falência.

Este tem sido um dos setores mais afetados pela crise pandémica, e o o disparar dos números de novos casos de uma Covid-19.

Segundo a TSF o presidente da Associação Nacional de Restaurantes, Daniel Serra, adianta que há uma relação “quase direta” entre o número de casos de infeção e a diminuição da procura pelos clientes, em resultado da desinformação das pessoas sobre as formas como podem ‘apanhar’ o coronavírus.

Este dirigente assume à TSF que, as pessoas “baralhadas”, assustam-se e deixam de frequentar os espaços de restauração, susto sem sentido, pois estiveram abertos durante meses antes deste disparar de novos casos a partir de setembro.

Nesta situação cerca de 70% dos restaurantes estão em risco de fechar 

“Depois de meses medíocres, a partir do momento em que foi declarado o estado de calamidade, a diminuição voltou a ser drástica”, afirma Daniel Serra, que refere a previsão de um inverno duro.

Na última semana, 66% dos restaurantes inquiridos têm uma queda de faturação superior a metade do negócio que tinham antes da pandemia.

A Associação Portuguesa de Hotelaria, Restauração e Turismo (APHORT), tem uma visão um pouco diferente pois o seu presidente, António Condé Pinto, confirma que há restaurantes que, de facto, perderam clientes com esta segunda vaga da pandemia com o que não contavam mas há outros segmentos e de outras zonas, que até estão a registar mais clientes.

“A resposta é diferente, pois o setor é muito heterogéneo. Sobretudo nas principais cidades, vê-se uma diminuição da procura porque o turismo de outono não chegou e porque, em resultado do agravamento da pandemia, há de novo menos pessoas a trabalhar nos centros das cidades”, porque ficaram em teletrabalho. “Nesse segmento está de novo a sentir-se uma queda, clara, na procura”, explica o representante dos empresários.

Já o take away para comer em casa, voltou a subir nas últimas semanas havendo hoje restaurantes onde o take away compensa as quebras nas refeições em que os clientes estão presentes, numa mudança que acredita que veio para ficar de forma duradoura.

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.