Home África O Presidente de Angola, João Lourenço, avalia em 20,2 mil milhões de euros os prejuízos do Estado por política anterior do Zédu dos Santos o amigo de alguns (todos?) dos donos disto tudo! E nós os sancionados pela ONU?

O Presidente de Angola, João Lourenço, avalia em 20,2 mil milhões de euros os prejuízos do Estado por política anterior do Zédu dos Santos o amigo de alguns (todos?) dos donos disto tudo! E nós os sancionados pela ONU?

por Joffre Justino

Enquanto que os que pugnavam pela Democracia em Angola chegaram como eu a perder aí por volta de um milhão de euros os amigos do sr Zédu dos Santos os de Portugal também estão nos que beneficiaram com as lavagens de dinheiros ligadas aos acima referidos valores que foi revelado este domingo, 11.10, por João Lourenço numa entrevista concedida, ao diário norte-americano Wall Sreet Journal.

image.aspx.jpg

Estes prejuízos causados ao Estado angolano pela política de delapidação do erário público dos últimos anos é a raiz do ambiente degradado vivido em Portugal e que afeta da extrema direita fascista e colonialista às Esquerdas quase todas ( e daí o antisavimbismo serôdio por cá dominante)

Este valor, resulta dos processos de investigação patrimonial em curso no Serviço Nacional de Recuperação de Ativos da Procuradoria Geral da República de Angola, e que esquece os impatos das ilegais sanções da ONU sobre os democratas dirigentes da UNITA, foi revelado por João Lourenço na entrevista citada acima e que deu origem também a um comunicado da Presidência da República de Angola.

João Lourenço específica que, dos cerca de 24 mil milhões de dólares, 13,5 mil milhões foram retirados ilicitamente, através de contratos fraudulentos com a Sonangol, 5 mil milhões, através da Sodiam e Endiama, empresa de diamantes, e os restantes 5 mil milhões foram retirados através de outros setores e empresas públicas.

Felizmente, o valor dos bens móveis e imóveis apreendidos ou arrestados em Angola, como fábricas, supermercados, edifícios, imóveis residenciais, hotéis, participações sociais em instituições financeiras e em diversas empresas rentáveis, material de eletricidade e outros ativos já ascende a 4,2 mil milhões de dólares (cerca de 3,5 mil milhões de euros), segundo o Presidente, João Lourenço que desconhece as dores emocionais e financeiras dos sancionados da UNITA pela ONU e que leva a que o Serviço Nacional de Recuperação de Ativos da PGR solicite às suas congéneres no exterior do país a apreensão ou arresto de bens e dinheiro, no valor de cerca de 5,4 mil milhões de dólares (cerca de 4,5 mil milhões de eutos), nomeadamente na Suiça, Holanda, Portugal, Luxemburgo, Chipre, Mónaco e Reino Unido, “lista que tende a alargar-se”, afirmou.

Em Portugal, na Itália, no Reino Unido, na Bélgica, em Espanha, na Irlanda, a ONU e o Estado Angolano, a UE e a ONU deveriam indemnizar os injustamente maltratados membros da UNITA e os membros da Comissão Justiça Paz e Reconciliação em Angola como o autor destas linhas! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.