Home Opinião Filas à porta com lojas vazias – o cm2 do lucro assusta-se!

Filas à porta com lojas vazias – o cm2 do lucro assusta-se!

por Nardia M

A APED Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição é a entidade responsável ( em parte) da destruição das lojas e mercearias de bairro e do abuso de supermercados  e grandes lojas país fora, agora, anda assustada com as medidas de contingência! 

A APED claro, está desesperada pois as medidas que diz ela o estado impõe ( na verdade o Covid-19) de contingência estraga a visão de negocio ao cm2 de expositores.  Por tal, ela surge com o argumento de estar a ter o efeito contrário ao pretendido pelo Governo.

A APED), que representa centenas destas lojas e supermercados, disse à TSF que o efeito foi o inverso ao objetivo pois  têm notado na última semana que há um maior fluxo de clientes entre as 19 e 20h00, gerando  as concentrações não fazendo sentido que estes espaços tenham há 5 meses, uma limitação de 5 clientes por cada 100 metros quadrados, o rácio mais baixo entre os vários países da União Europeia 

Na verdade o seu problema é que a gestão ao cm2 e não ao cliente, leva a que a sensação de lojas e supermercados vazios, os assusta bem mais que as filas e ajuntamentos à porta em especial, diz a APED, no final do dia do trabalho !

Mas na verdade, quem entra nas referidas lojas o que vê é o movimento habitual e algumas poucas pessoas a aguardar sem qualquer gesto de simpatia por parte do “lojista”, nem sequer um banquinho! 

Mas porque será que quem gere ao cm2 ainda não se redescobriu um pandemia? Falta de criatividade, de sentido de inovação? 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.