Home Opinião Festival de Cinema de Veneza deixou surpresas a Portugal

Festival de Cinema de Veneza deixou surpresas a Portugal

por Joffre Justino

O secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, felicitou hoje a realizadora Ana Rocha de Sousa pelos prémios no Festival de Cinema de Veneza.

Nuno Artur Silva à Lusa referiu que “é uma revelação absoluta mesmo para Portugal … É um prémio muito importante e sobretudo muito auspicioso, é um prémio de futuro e, para uma primeira obra, este sinal num importante festival é muito animador. É um prémio para ela e para a equipa, mas é também uma forma de reconhecimento do cinema português e numa situação de coprodução. É uma revelação absoluta mesmo para Portugal”. 

“Listen”, a primeira longa-metragem da realizadora Ana Rocha de Sousa, 41 anos, venceu quatro prémios no festival de Veneza que terminou hoje: O ‘Leão de Futuro’, de primeira obra, o prémio especial do júri ‘Horizontes’, o prémio ‘Bisato d’Oro’ de melhor realização e o prémio ‘Sorriso Diverso Venezia’, estes dois últimos galardões paralelos do evento.

Trata-se de um drama de uma família portuguesa emigrada no Reino Unido, aliás uma coprodução luso-britânica e rodado nos arredores de Londres com elenco português e inglês, encabeçado por Lúcia Moniz, Ruben Garcia e Sophia Myles e estreará nos cinemas portugueses em 2021.

Nuno Artur Silva sublinhou a “boa surpresa” de todos aqueles prémios serem atribuídos a uma primeira obra, de uma realizadora que descreveu como uma “corredora”.

Questionado sobre a importância das coproduções no desenvolvimento do cinema português, o secretário de Estado afirmou que esse é um dos caminhos de internacionalização da produção nacional, “É um dos caminhos possíveis e para um país de pequena escala a coprodução não só é decisiva para a questão de financiamento, mas também para a questão de possibilidade de internacionalização”.

Ana Rocha de Sousa, 41 anos, entrou no cinema pela porta da representação, sobretudo em televisão, tendo participado em séries de ficção como “Riscos”, “A raia dos medos”, “Morangos com açúcar” e “Jura”.

Estudou na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e emigrou para o Reino Unido, onde estudou cinema, passando para o outro lado da câmara a realizar curtas-metragens e, depois, a longa “Listen”.

.

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.