Home Economia Um Inquérito AHRESP e a crise a explodir ?

Um Inquérito AHRESP e a crise a explodir ?

por Joffre Justino

Divulgamos estes inquéritos da AHRESP um dirigido às empresas do alojamento turístico e outro direcionado às empresas da restauração e bebidas. 

Os Inquéritos decorreram entre o dia 31 de agosto e o dia 3 de setembro de 2020, tendo-se obtido 1.049 respostas válidas.

Restauração e Bebidas – Principais conclusões:

·         Faturação:

o   70% das empresas registaram no mês de agosto uma quebra de faturação acima dos 40%;

o   18% das empresas estimam uma quebra de faturação acima de 75% em setembro em comparação com o mês homólogo;

o   Em setembro, face às estimativas de faturação, 34% das empresas não irá conseguir suportar os encargos habituais (pessoal, energia, fornecedores e outros);

o   Mais de 38% das empresas declaram a intenção de avançar para a insolvência.

·         Salários e Emprego;

o   9% das empresas não conseguiram pagar salários em agosto;

o   Mais de 24% não vai conseguir manter os postos de trabalho até ao final do ano.

·         Apoios à Manutenção dos Postos de Trabalho:

o   58% das empresas recorreu aos novos mecanismos de apoio à manutenção dos postos de trabalho;

o   Destes, 42% optaram pelo Apoio à Retoma Progressiva e 58% pelo Incentivo Extraordinário à Normalização da Atividade.

·         Apoios Financeiros:

o   61% das empresas recorreram a financiamento ao longo da pandemia.

o   Apenas 7% das empresas já recorreram ao reforço da linha de microcrédito do Turismo de Portugal;

o    22% referiu já ter recorrido à linha de crédito de 1000 milhões de euros aplicada às micro e pequenas empresas.

Alojamento Turístico – Principais conclusões:

·         Faturação:

o   Cerca de 12% das empresas não faturaram no mês de agosto;

o   Para o mês de setembro, cerca de 24% das empresas estimam uma taxa de ocupação máxima até 10%;

o   17% das empresas perspetivam ocupação zero;

o   16% das empresas declaram a intenção de avançar para a insolvência.

·         Salários e Emprego:

o   Mais de 19% das empresas não conseguiu pagar salários em agosto;

o   16% não vai conseguir manter os postos de trabalho até ao final do ano.

·         Apoios à Manutenção dos Postos de Trabalho:

o   Apenas 29% das empresas recorreu aos novos mecanismos de apoio à manutenção dos postos de trabalho;

o   Destes, 61% optaram pelo Apoio à Retoma Progressiva e 39% pelo Incentivo Extraordinário à Normalização da Atividade;

·         Apoios Financeiros:

o   Apenas 32% das empresas recorreram a financiamento ao longo da pandemia;

o   12% das empresas já recorreram ao reforço da linha de microcrédito do Turismo de Portugal;

o   Apenas 9% referiu ter recorrido à linha de crédito de 1000 milhões de euros aplicada às micro e pequenas empresas.

E há quem não perceba que só teremos solução numa via solidária entre manutenção de rendimentos e consumos com obrigatória redução de lucros e aplicação por cá do que de cá saiu! 

Esta pandemia parece que nao tende a tornar-nos solidários burros que tendemos ser! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.