Home Internacional Ah Cisjordânia pobre Cisjordânia…

Ah Cisjordânia pobre Cisjordânia…

por Nardia M

À Lusa, por telefone, após o Conselho informal de ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia (UE) e um almoço de trabalho dos 27 com o chefe da diplomacia israelita, Gabi Ashkenazi, declarou Santos Silva MNE luso,”Falando em nome de Portugal, tive a preocupação essencial de dizer ao ministro dos Negócios Estrangeiros de Israel que saudávamos o acordo com os Emirados Árabes Unidos”, afirmou esquecendo que este acordo em cima das eleições nos EUA só suspendeu a anexação da Cisjordânia … até às eleições americanas como é óbvio! 

Segundo o ministro o apoio, resulta de “várias razoes”, “a principal das quais o facto de esse acordo representar a suspensão dos planos de anexação no Vale do Jordão”, para Portugal “a questão mais urgente”.

“Queria valorizar, aliás também a beneficio da UE, o facto de até agora termos conseguido um objetivo que definimos como essencial desde o momento em que Israel anunciou as suas intenções de anexar: convencer Israel a não o fazer, contribuir para que fosse impedida a concretização do plano de anexação, que do nosso ponto de vista colocaria em sério risco a solução dos dois Estados”, acrescentou Santos Silva num ato de “ingenuidade diplomática” daquelas que “nem dá para acreditar” sem uma boa gargalhada e ( no Verão) meia imperial bebida de um só gole) 

Os Emirados que compram armas ao tempo a Israel são o primeiro Estado Árabe do Golfo a estabelecer relações diplomáticas com Israel e a terceira nação árabe a fazê-lo, depois do Egito (1979) e da Jordânia (1994).

A normalização das relações entre Israel e os Emirados fazia parte do plano do Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, para o Médio Oriente, apresentado em janeiro, que previa também a anexação por Israel do vale do Jordão e de colonatos na Cisjordânia.

Segundo o príncipe herdeiro dos Emirados, Mohammed bin Zayed, o acordo “foi alcançado para encerrar qualquer anexação adicional de territórios palestinianos”, outra “ingenuidade diplomática” de gargalhada!

Pois e até o recorda a Lusa, para o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, o plano de anexação de partes da Cisjordânia ficou “adiado” com o acordo com os Emirados Árabes Unidos, mas pode avançar um dia, na verdade para avançar em cima das eleições sobretudo se Trump ganhar!

Se Joe Biden ganhar estamos aqui para ver!

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.