Home América Latina Bolsonarismo e a propaganda em fake news

Bolsonarismo e a propaganda em fake news

por Nardia M

Desta feita foi o Facebook segundo a BBC Brasil que tirou do ar nesta semana dezenas de perfis, páginas e suas contas da plataforma e do Instagram, acusando-as de serem usadas  para espalhar conteúdos  falsos  e favoráveid ao presidente da República, Bolsonaro.

Estão implicados servidores dos gabinetes ligados à família Bolsonaro, contas de assessores de deputados próximos do bolsonarismo no Rio e em São Paulo, por usarem uma “combinação de contas duplicadas e contas falsas” burlando as regras de uso da empresa

Estas páginas eliminadas  eram seguidas por 883 mil pessoas no Facebook, e por 917 mil no Instagram com custos de US$ 1,5 mil 

Vejamos então abaixo quem é quem na rede  bolsonarista de contas falsas denunciadas pelo Facebook e pelo Atlantic Council, um centro de estudos que mantém parcerias com a plataforma e que foi em parte responsável pela investigação.

Aliados da família Bolsonaro

Alana Passos

  • Quem é? Sargento do Exército filiada no PSL, 
  •  Que páginas/perfis estão associados a ela e que foram eliminados ? AlanaOpressora (no Facebook e no Instagram), artilhariadobem, tvanticomunismobrasil e Fabio Muniz.
  • O que diz o relatório? Segundo o levantamento, o maior núcleo da rede derrubada era ligado a dois parlamentares do PSL do Rio de Janeiro por meio de seus assessores parlamentares: Vanessa Navarro, do gabinete de Anderson Moraes, e Leonardo Rodrigues, ex-assessor de Alana Passos. 
  • O que ela diz sobre a acusação? Em nota, Alana Passos disse que não foi notificada pelo Facebook sobre nenhuma irregularidade ou violação de regras em suas próprias contas. “Quanto a perfis de pessoas que trabalharam no meu gabinete, não posso responder pelo conteúdo publicado. Nenhum funcionário teve a rede bloqueada por qualquer suposta irregularidade. Estou à disposição para prestar qualquer esclarecimento, pois nunca orientei sobre criação de perfil falso e nunca incentivei a disseminação de discursos de ódio”, disse ela.

Anderson Moraes

  • Quem é? O empresário Anderson Moraes ingressou na política em 2016, mas não conseguiu se eleger ao cargo de vereador de Nova Iguaçu, onde sua mãe ocupou o mesmo posto. Dois anos depois seria eleito deputado estadual pelo PSL na esteira da vitória de Jair Bolsonaro, com 41 mil votos. 
  • Quais páginas/perfis associados a ele pelo Facebook foram eliminadas?ideologiabrasil, bolsonaroni, Anderson Luis, Anderson LM, Rodrigo Weikert, artilhariadobem
  • O que diz o relatório? o maior núcleo da rede eliminada estava ligada aos parlamentares do PSL do Rio de Janeiro por meio de seus assessores parlamentares – Vanessa Navarro, no caso de Anderson Moraes.
  • O que ele diz sobre a acusação? Moraes falou em perseguição política em entrevista à CNN Brasil. Sobre a assessora Vanessa Navarro, o parlamentar disse que ela defende ideias dela que vão de encontro às ideias do presidente e que teve sua conta excluída só por “expor seus pensamentos na internet”. Moraes também criticou a derrubada da conta do movimento que lidera, o Ideologia Brasil.

Coronel Nishikawa

  • Quem é? Coronel da reserva da Polícia Militar de São Paulo, Paulo Nishikawa atuou em cargos de confiança de gestões estaduais e municipais. Em 2018, se elegeu deputado estadual pelo PSL-SP com 23 mil votos. Em 2019, passou a ser investigado pelo Ministério Público sob suspeita de montar um esquema de rachadinha em seu gabinete, prática ilegal na qual assessores devolvem parte do salário para o parlamentar. Nishikawa afirmou à época que a acusação era infundada.
  • Quais páginas/perfis associados a ele pelo Facebook foram derrubados? Jonathan William Benetti (perfis de seu assessor no Facebook).
  • O que diz o relatório? O deputado Nishikawa é apontado no levantamento de forma indireta por empregar o assessor Jonathan William Benetti, acusador de gerenciar perfis falsos para impulsionar conteúdo favorável a Nishikawa e a Bolsonaro.

Tercio Arnaud Tomaz

  • Quem é? Tércio Arnaud se aproximou da família Bolsonaro quando trabalhava como recepcionista de um hotel em Campina Grande (PB), segundo o jornal O Globo. De lá foi para o gabinete de Jair Bolsonaro em 2017. Poucos meses depois, tornou-se assessor do vereador Carlos Bolsonaro e, mesmo empregado no gabinete carioca, passou a atuar na campanha presidencial de Bolsonaro. É conhecido por comandar a página Bolsonaro Opressor 2.0 no Facebook. Atualmente é assessor especial da Presidência da República e costuma ser acusado de pertencer ao chamado Gabinete do Ódio, um grupo de assessores que seria liderado por Carlos Bolsonaro (o que ele nega) e apontado como responsável da comunicação do presidente em redes sociais e ataques a adversários políticos.
  • Quais páginas/perfis associados a ele pelo Facebook foram derrubados? Extrema Vergonha na Cara, Nordestinos com Bolsonaro 2018, Marcos Antonio Diniz, Bolsonaro News, Bolsonaro Opressor 2.0, bolsonaronewsss, Vim do Futuro para Dizer que o Bolsonaro virou Presidente, Vanessa Navarro.
  • O que diz o relatório? Segundo o Facebook e o Atlantic Council, Arnaud era responsável por perfis e páginas com mais de 1,5 milhão de seguidores que adotavam “um mix de meias-verdades para levar a falsas conclusões”, entre elas a de que a reação à pandemia de covid-19 é exagerada e de que a hidroxicloroquina seria capaz de destruir o coronavírus (algo que não foi comprovado por amplos estudos científicos).

Paulo Eduardo Lopes (Paulo Chuchu)

  • Quem é? Conhecido como Paulo Chuchu, Paulo Eduardo Lopes trabalha no gabinete do deputado federal Eduardo Bolsonaro e é apontado pela investigação como um dos principais operadores da rede. Ele também é líder da Aliança pelo Brasil, o partido que o presidente quer criar, na cidade paulista de São Bernardo do Campo.
  • Quais páginas/perfis associados a ele pelo Facebook foram derrubados? bolsogordos, Gato Fingido, The Brazilian Post (conta de Instagram)
  • O que diz o relatório? O levantamento aponta que Paulo Eduardo Lopes é o dono de um site chamado The Brazilian Post, que teve contas apagadas no Facebook e no Instagram. O suposto site de notícias não informava o vínculo com a família Bolsonaro, mas fazia propaganda do novo partido criado pelo presidente e atacava rivais como se fosse um veículo independente.
  • O que ele diz sobre a acusação? O deputado federal Eduardo Bolsonaro falou no Twitter e não o próprio em ação contra a liberdade de páginas conservadoras após pressão de anunciantes.

Leonardo Rodrigues de Barros Neto

  • Quem é? Assessor da deputada estadual Alana Passos (PSL-RJ) até abril de 2020 e namorado de Vanessa Navarro, assessora do deputado estadual Anderson Moraes (PSL-RJ).
  • Quais páginas/perfis associados a ele pelo Facebook foram derrubados? Bolsoneas (Instagram e Facebook), Leonardo Barros 1, Leonardo Barros 2, Jogo Político, jogopoliticobr, ideologiabrasil, Leo Leo, Leonardo Neto, Leonardo Rodrigues
  • O que diz o relatório? o  proprio presidente Bolsonaro parece ser próximo de Leonardo e Vanessa, mandando vídeos elogiando a página Bolsoneas (investigada no inquérito do STF sobre fake news) e felicitando Vanessa por seu aniversário. O casal adotava a mesma estratégia de criar diversos perfis no Facebook e no Instagram com variações do próprio nome.

Vanessa Navarro

  • Quem é? Assessora do deputado estadual Anderson Moraes (PSL-RJ) e namorada de Leonardo Rodrigues de Barros Neto, que atuou como assessor da deputada estadual Alana Passos (PSL-RJ).
  • Quais páginas/perfis associados a ela pelo Facebook foram derrubados? vanessannavarro, Leonardo Rodrigues, Vanessa Nascimento, Vanessa Vanessa, vanessanavarro1108, Bolsonaro 2026, vanessabolsonaro17, Vanessa Navarro
  • O que diz o relatório?  presidente Bolsonaro  será também próximo de Leonardo e Vanessa, ao mandar vídeos elogiando a página Bolsoneas (investigada no inquérito do STF sobre fake news) e felicitando Vanessa por seu aniversário. O casal criava diversos perfis no Facebook e no Instagram com variações do próprio nome contas que eram usadas para publicar conteúdo pró-Bolsonaro em diferentes grupos e páginas nas redes sociais.
  • O que ela diz sobre a acusação? O deputado estadual Anderson Moraes afirmou que sua assessora foi perseguida por se expressar politicamente.

Jonathan William Benetti

  • Quem é? Assessor do deputado estadual Coronel Nishikawa (PSL-SP).
  • Quais páginas/perfis associados a ele pelo Facebook foram derrubados? Notícias de São Bernardo do Campo, John Bennett, Jonathan Benetti, John Benetti, John Bernardo, John Benett II
  • O que diz o relatório? Benetti  será o operador da rede em São Paulo que usava contas falsas para impulsionar conteúdo em apoio a Bolsonaro e Nishikawa, de quem é assessor.
  • O que ele diz sobre a acusação? Não foi localizado pela reportagem para comentar a medida do Facebook.
_104602229_line976.jpg

Bolsonaro com covid-19: cinco questões-chave sobre anúncio do presidente

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.