Home Activismo Aristides Sousa Mendes, a Homenagem devida

Aristides Sousa Mendes, a Homenagem devida

por Joffre Justino

A AR aprovou, a 03.07.2020, com a abstenção do deputado do Chega, um projeto de resolução que recomenda que Aristídes de Sousa Mendes seja homenageado no Panteão Nacional.

Lamentavelmente a proponente, Joacine Katar Moreira, não participou como se verá abaixo, mostrando uma sectária Assembleia da República! 

Trata-se de uma recomendação sem força de lei  para homenagear este cônsul português em um túmulo sem corpo, sem a habitual trasladação para o Panteão Nacional pois Joacine Katar Moreira propõe que o corpo continue em Carregal do Sal, terra onde nasceu e viveu Aristides de Sousa Mendes, para reforçar  a importância cultural e económica que a presença do corpo tem no turismo da região.

Joacine Katar Moreira, não participou na votação por estar em quarentena voluntária depois de ter contactado com uma pessoa infetada pela covid-19 e em nota enviada aos jornalistas, a deputada criticou a AR por ter impossibilitado a sua participação ‘online’ em plenário o que é verdadeiramente lamentável que tenha sucedido em tempo de pandemia!

O projeto recomenda também ao Governo a constituição de um grupo de trabalho, composto por um representante de cada grupo parlamentar, todos os deputados únicos e não inscritos, bem como outras entidades públicas envolvidas, que ficará encarregado de escolher a data, definir e executar o programa de panteonização de Aristides de Sousa Mendes.

Por iniciativa do PSD, aprovada pelos deputados na especialidade, serão também convidados a participar dois elementos da família de Aristides Sousa Mendes.

Em 1940, em plena loucura anti semita nazi fascista e em Segunda Guerra Mundial, Aristides de Sousa Mendes, cônsul de Portugal em Bordéus, França, emitiu vistos que salvaram milhares de pessoas do Holocausto, desobedecendo às ordens do ditador salazarento e por tal saneado da sua atividade 

No texto apresentado e submetido à Assembleia da República, a deputada Joacine Katar Moreira considera que Aristides de Sousa Mendes, “enquanto figura heroica da memória portuguesa, é património nacional, legado ético de todas e todos, é uma herança da sociedade civil e, sobretudo, um exemplo virtuoso para as gerações vindouras”.

Em meados de junho, o Conselho de Ministros aprovou o Programa Nacional em torno da Memória do Holocausto, intitulado “Projeto Nunca Esquecer”, que tem o objetivo de homenagear Aristides de Sousa Mendes e outros portugueses que salvaram e protegeram milhares de vítimas

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.