Home Opinião Acusado de extrapolar Lei de Segurança Nacional, Bolsonaro escolhe mais um militar

Acusado de extrapolar Lei de Segurança Nacional, Bolsonaro escolhe mais um militar

por Silvio Reis

O presidente Bolsonaro apresentou o novo (e terceiro) ministro da Educação, o militar Carlos Decotelli, em 25.06. No mesmo dia, a Justiça determinou que o governo dê explicações sobre  ameaças de uso da Lei de Segurança Nacional contra servidores do Ministério da Saúde. Na prática, até os militares dessa pasta são obrigados a assinar termos de confidencialidade, ou poderão ser presos.

A denúncia foi protocolada pelo deputado federal Jorge Solla (PT-BA). O juiz Evandro Reimão dos Reis deu cinco dias para que o governo se justificar. Consta que servidores são monitorados em suas redes sociais pelo Conselho de Ética do Ministério da Saúde.

O novo ministro, que é oficial de reserva da Marinha, poderá expandir a militarização no Ministério da Educação. Indicado pela ala militar do governo, o economista Decotell foi professor na Escola de Guerra Naval do Rio de Janeiro e já comandou o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), que foi oferecido como moeda de troca a políticos do Centrão.

Sílvio Reis, jornalista brasileiro

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.