Home Imprensa A ERC e as eleições vistas pelos media formais

A ERC e as eleições vistas pelos media formais

por LUSA Estrategizando

Os jornais e revistas nacionais concentraram a cobertura das eleições de 2019 nos partidos que já tinham sido eleitos em 2015, num total de 82,9% das peças, de acordo com um estudo da Entidade Reguladora para a Comunicação Social.

Para o trabalho da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) foram analisadas 1.596 peças, “em formato impresso e ‘online’”, segundo um comunicado divulgado pela entidade, que concluiu que “nos jornais e revistas considerados as peças com a presença de candidaturas às eleições legislativas são maioritariamente informativas”.

De acordo com a ERC, “em termos médios agregados, constata-se que 82,9% das peças se concentram em protagonistas das seis candidaturas com deputados eleitos para a Assembleia da República em 2015 (PS, PPD-PSD, BE, CDS-PP, CDU e PAN)”.

O regulador concluiu ainda que a cobertura da imprensa evidencia a “visibilidade dada aos cabeças de lista, sendo diminuta a presença de outros candidatos dos círculos eleitorais, exceto no caso da candidatura do PSD em que o protagonismo é sobretudo de Rui Rio enquanto candidato, número dois pela lista do Porto”.

A ERC analisou peças publicadas no Correio da Manhã, Diário de Notícias, Expresso, Jornal de Notícias, Jornal i, Observador, Público, Sol, Sábado e Visão, e descobriu que o tema mais mediatizado ao longo da campanha eleitoral é o do “‘desempenho dos partidos’, consubstanciado nas críticas intrapartidárias, interpartidárias e de atores externos ao processo eleitoral da ação, e na performance dos candidatos”.

O regulador analisou ainda os artigos de opinião identificados como sendo da “autoria de candidatos e/ou representantes de candidatura”, destacando que “o PS foi o partido com maior número de presenças (36), seguindo-se o BE, com 27, e o PSD, com 23. O Expresso (edição diária online e semanal impressa) foi o título de imprensa que publicou o maior número de artigos de opinião de candidatos (29), seguindo-se o Correio da Manhã (18) e o Jornal de Notícias (17)”.

A ERC descobriu ainda que houve 11 artigos de opinião que “foram publicados em período de campanha eleitoral, indo contra o previsto na lei nº72-A/2015, de 23 de julho”, sendo que destes, dois foram publicados no Observador e nove no Expresso, adiantou a entidade.

O estudo do regulador apontou ainda 107 entrevistas a candidatos ou representantes de candidaturas “sendo o jornal Público aquele que publicou o maior número (65), seguindo-se, na imprensa semanal, a revista Visão, com 18 entrevistas. O BE foi o partido com maior número de entrevistas (15), seguido do CDS (14), PSD e PS (13 cada) e da CDU (12)”.

O acompanhamento da ERC dividiu-se em duas partes: o universo de peças durante o período de campanha eleitoral (22 de setembro a 04 de outubro) e as peças de entrevista e opinião durante os períodos de pré-campanha e campanha eleitoral (01 de agosto a 04 de outubro de 2019), referiu o regulador. 

ALYN

Lusa/Fim

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.