Home Opinião Um Passo em Frente na guerra ao Covid-19!

Um Passo em Frente na guerra ao Covid-19!

por Joffre Justino

Os serviços de saúde privados e os do setor social da saúde estarão finalmente na linha para receber e a tratar doentes do Serviço Nacional de Saúde? SNS, a preços do Estado, ainda esta semana em vez de andarem a fazer teste a preços de pura especulaçao nada a ver com o Juramento de Hipocrates!

António Costa, já chegou a admitir que pode  ir até à requisição dos serviços privados de saúde, mas, para já avança um acordo: hospitais e clínicas do setor privado e social passam a tratar doentes do SNS, com Covid-19 e não só, e a ser pagos como se fossem públicos.

Vai ser literalmente de um dia para o outro, mais concretamente de dia 25 para dia 26 de março e estamos a apostar que as (des)ordens da saúde vão fazer a maior birra!

.

O presidente da Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP), Óscar Gaspar, fala num acordo com a Direção-Geral da Saúde e com a Administração Central do Sistema de Saúde, “cujos termos exatos hão de ser conhecidos nos próximos dias” e esperemos que seja no contexto da Responsabilidade Social que essas organizações dizem defender no marketing que fazem e pouco mais!

À TSF, Óscar Gaspar avança que “os serviços de saúde do setor privado e social passam a receber doentes encaminhados pela linha SNS24 ou pelos centros de saúde, casos suspeitos ou confirmados de infeção pelo novo coronavírus”. Por outro lado, estão também disponíveis para aliviar o SNS e, para isso, abrir portas a pessoas com outras patologias.

Mas há mais, a partir das 00h00 desta quinta-feira há teremos mais regras no combate à Covid-19: 

  • basta ter um dos sintomas da doença – por exemplo, tosse persistente – e é automaticamente um caso suspeito de infeção. O que não muda é que, antes de qualquer outra coisa, deve telefonar para o SNS24
  • A maioria das pessoas seja enviada para casa, aí testada e acompanhada, por telefone, já pelo centro de saúde local.

Como foi pedido a 16 de março, na chamada “primeira fase de mitigação da doença”, devem já estar criados nos serviços de urgência hospitalares e nos centros de saúde espaços próprios para atender os doentes com Covid-19.

Em casa, num centro de rastreio, no centro de saúde ou no hospital todos devem ser testados, isto se possível. 

Se não houver testes suficientes segue-se a seguinte lista de prioridades:

– Doentes a precisar de internamento;

– Recém-nascidos e grávidas;

– Profissionais de saúde (apenas os que apresentam sintomas de infeção);

– Doentes crónicos com doença ativa;

– Utentes de lares e de unidades de convalescença;

– Aqueles que tenham tido contactos próximos com os casos suspeitos.

Há menos de um mês, estes contactos próximos eram obrigatoriamente testados, mas agora, que em boa parte do país já não se consegue ir até ao princípio do foco de contágio e o vírus está espalhado na comunidade, a prioridade é tratar os doentes.

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.