Home Internacional A ONU e o Covid-19

A ONU e o Covid-19

por Antonio Sousa


O Escritório Regional da Organização Mundial da Saúde, OMS, para a Europa realçou esta terça-feira que são necessárias medidas ousadas em todos os países europeus para combater o covid-19 sendo a Europa  o novo “epicentro” da pandemia de coronavírus.

Aos jornalistas, em Genebra, o diretor-regional da OMS para a Europa, Hans Kluge, disse que todas as nações “sem exceção, precisam tomar ações mais ousadas para interromper ou retardar a ameaça” do novo vírus.

Num momento  “sem precedentes” o diretor recomenda a coordenação entre os países, a cooperação e a harmonização de esforços. 

Para a OMS o vírus pode ser contido com solidariedade nas comunidades, nas nações e na região e Kluge informou que a OMS Europa partilha orientação técnica, recolhe e repassa informações a todos os 53 Estados-membros.

Nos dias de hoje um terço dos casos relatados em nível global ocorre na europa e Kluge destacou que a vida de milhões de pessoas na  Europa passam momentos mudanças vibenciais radicais

Vibe-se assim  “simplesmente, uma nova realidade”, e o papel dos serviços públicos de saúde e o valor dos trabalhadores da saúde está sendo reconhecido “como nunca”.

Entretanto a “boa notícia” é que a região estava “alerta e atenta” e Kluge destacou o lançamento de “medidas de prontidão e resposta” em todos os Estados-membros.

Os países europeus lidam com quatro cenários: nenhum caso, primeiro caso, primeiro foco e primeira evidência de transmissão em grupo e para o diretor, alguns estão nos cenários 2 e 3, enquanto que muitos nos níveis 3 e 4. 

A recomendação a todos os Estados é estarem prontos para detectar, proteger e tratar casos de covid-19. As outras medidas são reduzir a transmissão, inovar e aprender.

Para o diretor-regional da OMS, os países precisam avaliar sua própria situação para decidir as medidas que deverão ser enfatizadas, porque o surto “está progredindo em velocidades diferentes”.

Na terça-feira, a União Europeia fechou por 30 dias as fronteiras de 27 países e do espaço Schengen, a zona livre de circulação sem passaporte.

A OMS destacou que perante a crise global de saúde devem ser testados todos os casos suspeitos do novo coronavírus.

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.