Home Opinião Os Albaneses para Judeus – uma história que inspira humanidade

Os Albaneses para Judeus – uma história que inspira humanidade

por Holta Bani

Como seria o mundo se todos se tivessem comportado como albaneses?

John.L.Withers II

A atitude em relação aos judeus tem sido e continua a ser um assunto global e planetário. É por essa razão óbvia que a consciência de toda a humanidade foi posta em prova.

A história da Albânia tem um ponto muito sensível com esse drama mundial. Atitude em relação aos judeus, mais precisamente a proteção deles, por um povo com uma história sombria como a nossa, que o honra no sentido mais amplo da palavra.

Na Albânia os judeus não foram protegidos por uma parte de povo e discriminados pelo resto.

Eles não foram influenciados por correntes politicas: não há diferença na atitude em relação aos judeus entre os três grupos de religiões, católicos, ortodoxos e muçulmanos.  Quando chegou o tempo da grande atribulação, todas as três religiões estavam em posição de igual confronto com os judeus. A Albânia tanto no período otomano quando depois da independência, tornou-se uma república e mais tarde reinado, mas as atitudes em relação aos judeus não mudaram. Essa foi uma das grandes questões que uniu toda população e a grande prova foi a Segunda Guerra Mundial, aqui essa unanimidade foi reafirmada. Esta é uma verdade conhecida. Os albaneses não tiveram unidade entre eles durante a Segunda Guerra por causa de um mal-entendido politico. As forças comunistas e nacionalistas enfrentaram muitos problemas fundamentais relacionados ao comunismo ou anticomunismo, e a Albânia terminou após a ocupação alemã oficialmente em um estado de língua alemã, criando assim o ambiente ideal para ser um país antissemita, mas isso não aconteceu.   

Os judeus foram resgatados por qualquer um que os conhecesse, por qualquer pessoa que lhes abrisse as portas, por qualquer funcionário albanês que tocasse suas cartas, por qualquer governo que tivesse suas listas, por qualquer um que não permanecesse indiferente a eles naquele período horrível. A Albânia foi um socorro aos judeus perseguidos, em todos os lugares do sudeste da Europa, os albaneses tentaram e resgataram muitas vidas. As faixas de resgate foram encontradas nas cidades e vilas de Mitrovica, Prishtina, Gjilan ,Deçan, Peje, Gjakova, Shkoder, Tirane, Berat, Lushnje, Vlore,  Fier, Burrel, Diber, Gjirokaster ,etc .

Os judeus foram direcionados para as terras albanesas porque sabiam que não havia perseguição por parte do povo e do governo, nem cotas de aceitação, desprezo religioso ou nacional, nem genocídio contra outras nações. Eles sabiam que poderiam confiar neles, que abriam a porta a qualquer pessoa necessitada, que seu governo queria que o país e a economia prosperassem, e que os judeus locais viviam igual aos outros.    

Segundo o censo de 1931, a Albânia tinha 200 judeus registrados, em Kosovo tinha cerca de 600 de judeus, que se mudaram para Albânia durante a Segunda Guerra Mundial. A questão e o resgate de todos os judeus na Albânia tornaram-se bem conhecidos e a Instituição YadVashem em Jerusalém reconheceu e documentou 70 albaneses como “Nobres” da salvação judaica durante o Holocausto. A combinação de listas detalhadas e dos vários documentos oficiais mostra que pelo menos 3164 judeus foram salvos na Albânia até o final da Guerra. Esse número inclui apenas os judeus que deixaram rastros nas pessoas e nos documentos.   

Pela primeira vez em 1929 – 1931 foi realizado o registro gratuito de judeus na Albânia, o que nunca havia sido feito em Europa antes. Eles tiveram o privilégio de descansar no Sábato e seus santuários. 

Historia dos judeus na Albânia desde o primeiro século.

Os judeus chegaram ao território albanês quando estavam em perigo:a. No século I dC, cerca de 3000 judeus românicos chegaram à Albâniab. No século. XV, nos anos de 1492- 1496, época da Inquisição Católica na Espanha e em Portugal, havia um número muito grande de judeus que chegaram a Albânia na cidade de Vlora.   

Havia leis antissemitas na Albânia?  

Desde 1933 todos os países europeus elaboraram leis antijudaicas. Foi o caso da Itália que até pressionou a Albânia a elaborar leis antijudaicas, mas elas nunca foram adotadas pelo Reino da Albânia. Muitos países tentaram demonizar o Kosovo como um país que deportou judeus e enviou 800 deles em campos de concentração. Segundo os documentos, as 800 pessoas enviadas eram albanesas, montenegrinas, macedónias, e apenas 32 judeus, mesmo para esses 32 não há registro de vítimas.

Quanto ao caso de A.Einstein que aproveitou a oportunidade de obter um documento albanês para ir para aos Estados Unidos, temos o testemunho da rainha Geraldine de Albânia, e vários documentos, foi uma estadia curta que só durou 48 horas.

O código de hospitalidade (besa) é o elemento chave que explica o comportamento dos albaneses. Um povo pequeno, com uma enorme humanidade. Tais atos não são significativos só para um país, mas são um indicador e uma esperança para a natureza, sociedade e a consciência humana como um todo. 

Não foi a minha escolha nascer em um pequeno país dos Balcãs, mas agora é minha escolha escrever com humildade e orgulho uma grande e gloriosa história do meu povo. Se o passado não for contado, poderá sempre repetir-se.

Holta Bani

13 de fevereiro 2020, Lisboa

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.