Home Opinião Militarização vence ala ideológica no Brasil, avalia Le Monde

Militarização vence ala ideológica no Brasil, avalia Le Monde

por Silvio Reis

Nove dos 22 ministros do governo Bolsonaro são militares. A mais recente nomeação do presidente, em 13.02, foi concentrar quatro ministros militares no Planalto, bem próximos da presidência.

A edição do jornal francês Le Monde, de 14.02, avalia que é uma vitória militar sobre a ala ideológica do governo, representada pelo filósofo Olavo de Carvalho. O El País espanhol também destaque a minirreforma ministerial.

O general Walter Souza Braga Netto foi nomeado para o cargo mais importante do governo, comparado a um primeiro-ministro, diz o jornal. Em 2018, Braga Netto se destacou como interventor federal militar no Rio de Janeiro.

O militar substituiu Onyx Lorenzoni, que foi “relegado” a ministro da Cidadania. Uma das missões de Onyx é solucionar o atraso de quase meses na distribuição do Bolsa Família.  Mais de um milhão de famílias pobres e em estado de miséria aguardam o recurso. O ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra, vai recuperar o mandato de deputado federal.  

Os outros três ministros militares no Planalto foram mantidos em suas pastas: o general da reserva Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional), o major da reserva da Polícia Militar Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo).

No jornal mensal Le Monde Diplomatique Brasil, a capa da publicação impressa de fevereiro destaca a reportagem O Estado que Mata, que também aborda a militarização no país.

Imagem destaque: Ministro Braga Netto e Bolsonaro, em 2018.

Silvio Reis, jornalista brasileiro

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.