Home Opinião Mais TAP, menos aviões, menos poluição

Mais TAP, menos aviões, menos poluição

por Joffre Justino

O Aeroporto de Lisboa está a receber muito mais passageiros (+21,4%), com poucos mais voos (+1,2%).

Com os novos aviões da TAP, com mais lugares, o trafego de passageiros aumentou bastante nos aeroportos portugueses, mas não houve aumentos de monta no número de voos, sobretudo em Lisboa.

Com base nas ultimas estatísticas a Autoridade Nacional da Aviação Civil, ANAC, avança que no último trimestre de 2019 os movimentos de aviões nos aeroportos cresceram pouco mais de 1%, muito menos que os 6% do período homólogo de 2018 mas com a novidade do tráfego de passageiros ter aumentado 13,5%.

Esta nova  “desproporcionalidade”, segundo a ANAC no relatório, “traduz, fundamentalmente, o efeito da alteração de frota da TAP, concretamente a introdução dos novos modelos Airbus 320neo e 321neo”, “mais eficientes nas operações de médio curso e com uma maior oferta de lugares por voo”.

Estes lugares nos aviões da TAP permitiram aumentos de passageiros “expressivos” em vários aeroportos com destaque para o aeroporto de Lisboa, +21,4%, isto é nada mais que mais 1,5 milhões de passageiros de outubro a dezembro de 2019, comparando com os mesmos meses de 2018.

No primeiro, segundo e terceiro trimestres do ano, o crescimento homólogo tinha sido muito mais pequeno: respetivamente, 3,4%, 6,3% e 11,5%.

Assim o aeroporto de Lisboa que tem as limitações conhecidas, com os novos aviões da transportadora aérea nacional conseguiu fazer disparar o número de passageiros sem disparar o número de voos o que tem forte impato positivo ambiental 

Este aumento da oferta de lugares na TAP também teve impactos positivos, mais pequenos, nos passageiros movimentados no Porto (+7,6%) e Ponta Delgada (+12,9%).

Por outro lado, a TAP, que há um ano transportava 50% dos passageiros do aeroporto de Lisboa, reforçou a sua quota de mercado para 56%.

Aliás, até nos voos domésticos houve um decréscimo de aproximadamente 10% do total de movimentos, que resulta “fundamentalmente, nas operações da TAP, em consequência da já sublinhada alteração de frota, que permitiu manter a oferta de lugares num universo mais reduzido de voos operados”.

Os voos de e para o estrangeiro estão em bom em crescimento, com +15% de passageiros transportados, sobretudo na procura de transporte aéreo para os mercados inglês (+10%), espanhol (+28%), italiano (+23%), brasileiro (+28%) e norte-americano (+62%).

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.