Home Opinião Agência da ONU alerta sobre temperatura recorde de 18ºC na Antártida

Agência da ONU alerta sobre temperatura recorde de 18ºC na Antártida

Uma agência das Nações Unidas emitiu um comunicado sobre o aumento recorde da temperatura na Península Antártida, a Organização Mundial de Meteorologia, OMM, que anuncia que o registro de mais de 18ºC ocorreu, na quinta-feira, na base militar de Esperanza, da Argentina, um centro de pesquisa.

image560x340cropped.jpg

Aumentou assim a onda de receios sobre a aceleração do derretimento das camadas de gelo e da subida do nível do mar e a porta-voz da OMM, Clare Nullis, afirmou que o recorde registrado no norte do continente seria considerado raro até mesmo para os meses mais quentes do ano.

Ela lembrou que a base Esperanza fica no norte da Península Antártida. A marca de 18.3ºC no termômetro é mais alta que a temperatura de 17.5ºC, registrada em 2015.

Os especialistas da OMM devem agora verificar se os índices extremos são um novo recorde para toda a Antártida, o que é determinado pela principal parte continental.

A quantidade de gelo, perdida anualmente, das geleiras da Antártida aumentou pelo menos seis vezes entre 1979 e 2017.

A OMM explica que não deve haver confusão com a região da Antártida, que é a parte que fica ao sul dos 60 graus de latitude, e onde a temperatura recorde de 19.8ºC foi notificada em janeiro de 1982, na Signy Island.

Os especialistas devem analisar se as condições meteorológicas deste recorde estariam relacionadas com o fenômeno conhecido como “foehn”.

Uma característica conhecida em regiões alpinas, os episódios de “foehn” incluem ventos em altitude e um aquecimento rápido do ar, à medida em que descem por picos e declives, levados por variado níveis de pressões do ar.

A porta-voz da OMM também lembrou que a Antártida é uma das regiões que aquecem mais rapidamente no planeta, e que esta parte da Península, em particular, está sofrendo com o fenômeno.

Nos últimos 50 anos a região aqueceu quase 3ºC.

A quantidade de gelo, perdida anualmente, das geleiras da Antártida aumentou pelo menos seis vezes entre 1979 e 2017.

Nadador atravessa rio na Antártida Oriental para chamar atenção para a mudança climática

0 comentário
1

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.