Home Opinião O salazarentismo a ocupar o CDS!?

O salazarentismo a ocupar o CDS!?

por Joffre Justino

Pires Lima sente que as declarações de Matos Santos, vice presidente da nova direção do CDS no facebook sobre Salazar e a PIDE “ofendem a tradição e memória democrática do CDS” 

Sem papas na lingua o ex vice-presidente do CDS, António Pires de Lima desafiou e muito bem esta sexta-feira o novo presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, a retirar a confiança política a Abel Matos Santos.

Recorde-se como refere a TSF que entre  2012 e 2015, Abel Matos Santos fez publicações no Facebook em que abordava as figuras de Salazar e Aristides Sousa Mendes, referindo-se a este último como um “agiota de judeus”, como também noticiou o Expresso. 

Ora Pires de Lima entende que o partido não pode aceitar que alguém com a linha de pensamento de Matos Santos faça parte de um partido democrático. 

“São declarações em que faz elogios à PIDE, em que faz declarações elogiosas ao Dr. Oliveira Salazar e declarações profundamente ofensivas sobre o cônsul Aristides Sousa Mendes, um herói nacional que, com grande custo pessoal, salvou centenas ou milhares de judeus da morte na Segunda Grande Guerra”, recorda Pires de Lima.

“Tenho a certeza de que o Francisco Rodrigues dos Santos não concorda em nada com este senhor”, nota o antigo ministro, que espera que a consequência desta discordância seja a de “retirar a confiança política” a Matos Santos.

E com frontalidade  Pires de Lima afirma que, caso Francisco Rodrigues dos Santos não tome “uma posição sobre esta matéria num prazo razoável” e não seja “consequente”, o sinal será o de que “vale tudo”.

Releve-se  que o antigo vice-presidente elogiou até a forma como Francisco Rodrigues dos Santos “ganhou o partido” e o Congresso e tem, por isso, “toda a legitimidade” para liderar o partido.

“Espero que o partido faça um percurso de crescimento, de implantação e que a vida do partido depois esteja ao nível do que foi a dinâmica e a vivacidade do Congresso”, diz Pires de Lima. Mas deixa um aviso: “Isso não significa que os militantes tenham de estar calados perante factos graves.”

Abel Matos Santos, eleito para a comissão executiva do CDS, já respondeu à polémica sem negar a autoria das frases, e ao semanário Expresso afirmou que “expurgar frases desses textos e descontextualizá-las não é um exercício sério”.

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.