Home Opinião Quem se lembra da Associação Portuguesa de Ecologistas – Amigos da Terra?

Quem se lembra da Associação Portuguesa de Ecologistas – Amigos da Terra?

por Joffre Justino

Conheci esta Associação entre 1977/78 através do Antonio Eloi via a feminista Isabel Pereira de Moura e cedo me fui envolvendo nesta Associação na verdade com umas duas centenas de associados e uns vinte ativistas bem jovens hiper pacifistas ( bem ao contrario da minha geração), alguns já vegans, quase todos eivados de um espiritualismo budista, mas, e era o que importava,  ativamente anti nuclearistas e dinamizadores de iniciativas ecolo. 

Com esta Associação lançámos inúmeras iniciativas contra os Incêndios florestais, contra uma hipotética central nuclear, contra o crescer da poluição industrial, automóvel, urbana, ( nasceu um boletim Ecologia e Urbanismo), contra o  mau uso  da água, a desertificação e com múltiplas iniciativas ate 1987 ano em que me afastei da Associação para ir para o de curta duração Departamento do Ambiente da UGT !

Nessa década vi uma classe empresarial cega, e uma classe política quase toda ignorante a olhar para “esses ecologistas” que se atreviam a dizer que este modelo tecno-económico era  suicida ( nunca esquecerei como reagiu o neclearindustrialista ministro da industria e ex ministro fascista Veiga Simão a uma reunião entre os Amigos da Terra e ele quase por imposição de Mário Soares e do sindicalista Antonio Janeiro sobre a não construção, contra os seus anseios, de uma central nuclear em Portugal), e o ar de gozo como éramos tratados – por sermos avant la lettre contra a crise climática que fomos avisando que aconteceria desde o aumento da temperatura à subida das águas do mar à degradação do ar, dos solos à falta de àgua! 

Mário Soares, que a maioria dos Amigos da Terra apoiou logo na primeira volta, recebeu esta Associação no Dia Mundial do Ambiente e logo a seguir fui acusado por Carlos Pimenta entre outros de querer fazer depender os Amigos da Terra da Maçonaria ( divertidamente informo mais uma vez que aderi ao Grande Oriente Lusitano, GOL, somente em 1991, tendo pedido a adesão só  em 1990) e na sua sanha contra mim e um pequeno grupo ( nenhum maçon..).

Com subsídios prometidos para tal fez-me ele sair dos Amigos da Terra … para nada pois fui para o Departamento de Ambiente da UGT e a seguir o de Consumidores da mesma central sindical de onde me afastei desiludido em 1990, de caminho para Angola para o jornal da UNITA, o Terra Angolana ( onde além da miséria sovietista em que vivia o povo angolano, vivi a degradação ambiental gerada pela guerra t

imposta sovieto cubana apesar de uma quase completa Não-economia !

E o PSD com o muito bom sentido de marketing agarrou a marca do ambientalismo ( como ainda hoje acontece) enquanto que o PCP via partido ecologista Verdes  segurou a marca da ecologia levando a um vazio no terreno social e politico até ao nascimento do PAN que segura a vertente pró animalista findando assim o espaço ecologista pelo menos para mais uma geração! 

Digo frontalmente que tirando a UEDS ( saudades da Fernanda e do Antonio Lopes Cardoso com nota especial à Fernanda) que nunca impuseram nada a ninguem nem na imponente e importante CGTP nem nos minusculos Amigos da Terra, todos os outros partidos se apoderaram de pelo menos uma parcela das areas e temas ecologistas à exceção, tirando o sensível Mario Soares e o atento Leonel Fadigas,  do PS, que navegou sempre nas ondas dos industrialistas, nada ambientalista, ecologista, ou animalista, mas sempre com pessoas agindo aqui e ali nas tematicas que envolvem a relação Ser Humano / Natureza.

Desta realidade onde vivemos mas entre outros pensares nasce e age a jovem Greta Thunberg tão maltratada pela maioria da Direita conservadora, e por nao pouca Esquerda que ficará para a Historia com o seu “como se atrevem…!) chega a Lisboa esta terça-feira, dia 3 de dezembro, pela 9 h, e vai ser recebida na zona leste da Doca de Santo Amaro segundo  a Associação ZERO uma das interessantes associações ambientalistas em comunicado enviado às redações. 

A jovem Greta Thunberg que, confesso, me faz chorar com o seu “como se atrevem!” cruzou o Oceano Atlântico de barco para participar na cimeira prévia da ONU em Nova Iorque (convocada pelo secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, em setembro passado) e na COP25 em Madrid.

Sim, a minha geração perdeu toda ela, uma ultra minoria porque não conseguiu convencer e a imensa maioria porque por egoísmo e ganância delapidou recursos dela e das gerações seguintes como nunca aconteceu na Humanidade 

E que em Portugal se teima ( já não a minha geração) em delapidar, tratando a Floresta como lixo, as águas, os solos, o ar, como recursos inesgotáveis que nunca foram e cada vez menos são, alimentando responsáveis no Ambiente que na realidade o odeiam e desprezam como desprezam as Crianças que aí vêm, deixando-me com um enorme amargo de boca por fazer tão  pouco ! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.