Home América Latina A ONU e a arbitrariedade no Equador

A ONU e a arbitrariedade no Equador

por Joffre Justino

Durante as manifestações de protesto que se aconteceram no  Equador durante  dez dias houve pelo  menos nove mortos e 1.507 feridos, disse  o Escritório da ONU para os Direitos Humanos.

A repressão  por parte das forças de segurança no  Equador  contra os manifestantes entre 3 e 13 de outubro foi desnecessaria  e desproporcionada, como  pôde  comprovar o Escritorio  das Nações Unidas para os Direitos Humanos. 

A organização  emitiu un comunicado que constata a violação dos direitos humanos dos equatorianos que sairam às ruas em protesto contra o pacote de medidas económicas imposto  pelo presidente Lenín Moreno. 

O documento, difundido esta sexta precisa que durante as jornadas de mobilizações populares houve nove  mortos, 1.507 feridos, entre eles  435 policias, assim como  1.382 detidos. 

De acordo com as denuncias recolhidas pela missão da ONU neste país, muitas  das prisões aconteceram de forma arbitraria. 

EKizaF-WwAIU_C7.jpeg
0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.