Home Cidadania Alvaro Cunhal, Eanes, Jaime Gama, Melo Antunes e Vasco Lourenço – o 25 de novembro de 1975 !

Alvaro Cunhal, Eanes, Jaime Gama, Melo Antunes e Vasco Lourenço – o 25 de novembro de 1975 !

por Joffre Justino

Alvaro Cunhal um marxista interessante e atento ( errando como todos nós humanos,  mas atento) sabia que entre 1974, 25 de abril e 1975, 25 novembro, enfim 19 mesitos ( que até pareceram 19 anos é verdade) nao assistimos a um processo revolucionário de luta de classes, mas sim a uma luta no seio da classe dominante entre castas da mesma centrada sobretudo na casta militar. 

Por isso entregues as colónias ao “campo socialista”, processo fácil e nao especialmente contestado pelo americano império ( a lamber ainda as feridas do Vietnam) Alvaro Cunhal abriu a porta à Concertação politica não social logo em Agosto de 1975 aceitou a queda de Vasco Gonçalves controladamente e deu ordem de recuo face ao 25 de novembro transformando o “conflito de classes” num conflito entre páras e comandos, deixando estes ganhar o dito! 

Vasco Lourenço, Eanes, Melo Antunes e Jaime Neves, importante mas mero operacional, como Pires Veloso diga-se, derrotaram nao o PCP, mas uma infima parcela deste, nao o PCPr/UDP, mas nao mais que 40% de que esta força representava, mas sim 95% da FUP/PRP/BR, 50% da LUAR, e uma boa parcela do MES, nessa luta páras versus comandos que quem viveu nas ex-colónias sabe bem o que significa de combates de galos agora gerida em luta de castas que felizmente terminou em bem com o grupo dos 9, com Melo Antunes, Vasco Lourenço e Eanes na liderança a vencerem!

Como escrevi e como escreve Francisco Assis é uma pena que o PS saia desta liça onde se esgatanham pela selfie o Chega, o a Iniciativa Liberal ( jovens ignorantes da Historia) e um CDS que a conhece bem e procura obter ridiculamente um canto dessa selfie ( Amaro da Costa e Freitas do Amaral como estarão vocês no vosso atual universo a arrancarem os vossos cabelos!) e tambem um MRSousa que busca status agora ao lado de Eanes ( para as próximas presidenciais esquecendo o neto)!

Sabendo que parte essencial das Esquerdas de onde venho sonha ainda com os páras, isto é com a revolução, mas não cedendo eu na tese de que para haver luta de classes estas têm de organizadamente existir, e não somente a dominante, exploradora e tacanha salazarenta burguesia que se rebola, perdoem-me, de gozo com os mais de 20% de trabalhadores que auferem um salário mínimo nacional que, em janeiro de 2020 será de uns míseros 635 euros, sacados a ferros, então nada mais resta que apontar o dedo a essa ferida do passado que dividiu as Esquerdas até à saudável Geringonça!  

E apontar o dedo é saudar Melo Antunes, Vasco Lourenço e Eanes porque deixaram uma Democracia como Alvaro Cunhal e Mario Soares quiseram, Democracia que ainda não soubemos aprofundar nos campos politicos sociais economicos e culturais e daí o vivermos com um governo-papá que nos tira o direito de contestar limitando a negociação coletiva de trabalho para nos dar uma “política de rendimentos” onde ficam de fora as tipologias alternativas de propriedade como as cooperativas, as mutuas as associacoes… uma economia autogestionaria para que fique o privatismo serôdio que temos ! 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.