Home Direitos Humanos O Chile quando nas mãos da Direita …

O Chile quando nas mãos da Direita …

por Joffre Justino

É o governo do Chile que confirma que as mortes voltaram a acontecer e pelo menos 11 pessoas morreram e 1.462 foram detidas nestes dois dias de protestos em massa na região metropolitana de Santiago durante o final de semana.

“O número oficial de mortos que devemos nos arrepender nestes últimos dois dias é 11, três falecidos no sábado [19 de outubro] e oito no domingo [20 de outubro]”, disse a prefeita da Região Metropolitana de Santiago, Karla Rubilar, numa conferencia de imprensa.

As manifestações dia 14 de outubro devido ao aumento do preço do bilhete do metropolitano de Santiago continuaram apesar de no sábado (19), o presidente Sebastián Piñera tenha anunciado a suspensão do aumento.

As manifestações alargaram-se a todo o Chile e ficaram muito mais intensas, com barricadas, saques e incêndios e por tal no sábado, 716 pessoas foram presas em todo o Chile e o governo decretou estado de emergência em grande parte da área central do país e também estabeleceu um toque de recolher para as noites de 19 e 20 de outubro.

O estado de emergência foi a medida que autorizou o Exército e as Forças Armadas a passarem a patrulhar as ruas mas nesta segunda-feira, 21, um novo protesto foi convocado no centro de Santiago.

Joffre Justino 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.