Home Opinião Indígenas vão a 12 países europeus denunciar a política Bolsonaro

Indígenas vão a 12 países europeus denunciar a política Bolsonaro

por Silvio Reis

A campanha Sangue Indígena: Nenhuma Gota a Mais reúne um conjunto de mobilizações contra violações de povos indígenas e o meio ambiente no governo de Jair Bolsonaro.

A partir de 17 de outubro, sete líderes indígenas escolhidos para representar todos os indígenas brasileiros, vão divulgar a campanha em 12 países europeus. O ponto inicial é na cidade do Vaticano, considerado como país. No Sínodo da Amazônia, que acontece em outubro, indígenas terão uma agenda com o Papa Francisco e participação  no evento.

Até 20 de novembro, os representantes brasileiros vão passar por 18 cidades europeias para se reunirem com ativistas, ambientalistas, artistas, autoridades e lideranças políticas.  Os temas discutidos envolvem desmatamento, queimadas, invasão de terras, demarcação e crimes ambientais diversos. O último relatório sobre violência contra povos indígenas, viabilizado pelo Conselho Missionário Indigenista (CIMI) já foi apresentado a ONU e será debatido no sínodo.

Faz parte comitiva de sete indígenas a ex-candidata a vice-presidente, em 2018, Sônia Guajajara, atual coordenadora da APIB: Articulação dos Povos Indígenas do Brasil.

Roteiro na Europa:
– Vaticano – 17.10
– Itália – Roma e Turim, de 17 a 23 b.
– Alemanha – Berlim e Munique, de 23 a 27.
– Suécia – Estocolmo, 26 a 28.  
– Noruega – Oslo, 27 a 29.
– Holanda – Amsterdam, 29 a 31.
– Portugal – Porto, 02 a 05.11
– Bélgica – Bruxelas, 03 a 06
– Suíça – Genebra e Berna, de 06 a 10.
– França – Paris, 10 a 13.
– Inglaterra – Londres, 13 a 17.
– Espanha – Barcelona, Madri e Valença, de 17 a 20.

Imagem destaque: Sônia Guajajara

Silvio Reis, jornalista brasileiro

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.