Home Opinião A Revolta Popular e a Regressão no Equador

A Revolta Popular e a Regressão no Equador

por Joffre Justino

A policía equatoriana disparou com   armas de fogo  e gás lacrimogêneo contra os manifestantes nas imediações da Assembleia Nacional do Equador apos 10 dias de protestos contra as reformas económicas do Governo do  presidente Lenín Moreno.

Às primeiras horas da manhã deste sábado, as forças da ordem  lançaram uma arremetida contra os manifestantes numa  zona próxima do parque de  Arbolito, que pedem a revogação  de várias medidas como as que implicam os aumentos nos combustíveis .

O Equador vive uma onda de manifestações e de descontentamento social desde que eo governo de Quito decretou uma série de medidas de ajustamento económico impostas pelo FMI.

O presidente da Assembleia Nacional, César Litardo, convocou este sábado uma  reunião  de urgência para 14 de outubro  para analisar  o estado de exceção decretado pelo governo e a grave crise política que atravessa o  Equador, mas com analistas a acharem  que esta reunião chega demasiado tarde pois os movimentos sociais equatorianos mantêm uma paragem nacional e mantêm as  suas reivindicações para revogarem  as reformas, que originaram os protestos em cidades como Loja, Guayaquil, Cuenca, Ambato, e Riobamba, entre outras, e para continuarem  indefinidamente ou até à revogação do Decreto 883 que eliminou o subsídio à gasolina extra e ao diesel. 

UN5mwtIW_bigger.jpg

Carla González

@CarlaGteleSUR

Continuamos la cobertura en Quito. 8:45am en el Parque El Arbolito comienzan a reunirse otra vez los manifestantes en contra de las medidas económicas del gobierno. Se encuentran frente a la Asamblea Nacional @teleSURtv

Foto de destaque: José Jácome / EFE

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.