Home Cultura Encontro Imaginário

Encontro Imaginário

por Joffre Justino

E é o Helder Costa que apresenta, aqui e na Barraca,

O próximo Encontro Imaginário está a causar um curioso alvoroço. Será porque um dos participantes, é Stalin?considerado por muitos persona non grata, chega se a tentar compara -lo com Hitler!Como é possivel?O exército Soviético derrotou as tropas nazis, libertou países do Leste, cercou o Bunker em Berlim, participou na Aliança com Estados Unidos e Inglaterra que libertou o mundo, e mesmo assim é visto com má cara!

Talvez porque a corte inglesa simpatizava com o nazismo e os industriais do petróleo dos USA( com o avô Bush à cabeça) tinham negócios secretos com o Hitler…o que, evidentemente , é uma verdadeira traição à Pátria, mas escapou sempre à justiça.

Temos pois temas interessantes a discutir.

RESERVAS : por este mail ou 213965360

Josef Stalin(Gori, 18 de dezembro de 1878 – Moscou, 5 de março de 1953) foi um revolucionário comunista e político soviéticode origem georgiana.. A partir da Revolução de Outubrode 1917, juntou-se ao comitê Politburodo partido e quando Lenin morreu em 1924, Stalin  assumiu a liderança do país. Promoveu o marxismo-leninismo através da Internacional Comunistae apoiou movimentos antifascistaspor toda a Europa durante a década de 1930. O  Exército Vermelhorepeliu a invasão  Nazi e capturou Berlimem 1945, pondo fim à Segunda Guerra Mundial . Interpretação do jornalista Carlos Magno

Gerónimo“O Que Boceja”, (16 de junhode 1829– Fort Sill17 de fevereirode 1909) foi um líder indígenada América do Norte, comandando os apacheschiricahuaque, durante muitos anos, guerrearamcontra a imposição pelos brancos de reservas tribais aos povos indígenas dos Estados Unidos.  Participou na célebre batalha de Big Horn onde as tribos Indias liquidaram 5.000 soldados chefiados por George Custer.No fim da vida, Gerônimo era uma celebridade, aparecendo na Feira Mundial de 1904 em St. Louis, vendendo souvenirse suas  fotografias Morreu de pneumoniaem Fort Sill, em 1909, e foi enterrado como prisioneiro de guerra.Com Manuel Luzio, apicultor

Rudolf Höss( 25 de novembro de 1901 – 16 de abril de 1947) foi um oficial alemãoda SSnazi. Após o fim da guerra, Höß tornou-se combatente na Freikorps,brigada de acção directa responsável por dezenas de crimesentre eles as mortes de Liebnecht e Rosa Luxembourg. È dele a utilização do pesticida Zyklon B, que continha cianeto de hidrogênio, para acelerar o processo de matança de judeus no Holocausto. Alguns relatos narram as suas façanhas. “Höß, o Kommandant (Comandante), disse-me que usava ácido sulfúricoem suas execuções. Algodões redondos eram molhados com tal venenoe jogados para dentro das salas onde os judeusestavam reunidos. O venenoera instantaneamente fatal.Ele queimava os corpos ao ar livre numa grelha de ferro.Após a execução mostrou –me uma cova  onde um grande número de cadáveres acabara de ser carbonizado”. Höß foi capturado a 11 de março de 1946 pela polícia militar britânica. A 2 de abril de 1947, foi sentenciado à mortepor enforcamento. A sentença foi executada no dia 16 de abrildo mesmo ano, na entrada do que outrora fora o crematório do campo de concentraçãoAuschwitz. Interpretação do professor José Zaluar

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.