Home Ambiente O Ambiente é mais importante que apoiar a Antram Matos Fernandes!

O Ambiente é mais importante que apoiar a Antram Matos Fernandes!

por Nardia M

Um ministro do Ambiente de um país de 9 séculos feitos e de uma região sem a Amazonia tem uma enorme dificuldade em estar no showbizz que a política hoje é 

Por isso Matos Fernandes prefere dedicar o seu tempo útil a lidar ( muito mal) com os mais que visíveis motoristas a preocupar-se com “temas menores” como o predomínio dd jacintos de agua no rio Sorraia ( onde ficará  esse rio, questionar-se-á ele?)

Mas sao redes  de pesca presas e um rio intransitável com esta praga de jacintos de água que geram queixas dos pescadores que retiram sustento do rio Sorraia, e que mostra um problema que tem solução à vista, mas que não será imediata.

“Conheço o rio há 50 e qualquer coisa anos. Sempre usufruí do rio tanto na pesca como no lazer”, disse à Lusa um dos fundadores do movimento “Juntos pelo Sorraia”, Alberto Santos.

Na verdade quer a fauna quer a flora deste rio, entre Coruche e Benavente, no distrito de Santarém, ( eis onde ele fica caro ministro) estão a ser afetadas por uma praga de jacintos de água, fenómeno que Alberto Santos relaciona com o abandono do Sorraia ao longos dos anos e com o “bloqueio do rio”.

Assim a 24 de julho foi construído um açude no rio Sorraia devido à necessidade de se criar uma represa com água doce porque a produção agrícola naquela zona estava em risco por as águas apresentarem um elevado nível de salinidade “ Os jacintos que era suposto, com as marés, irem para o mar, começaram a ficar acumulados juntos a este dique que fizeram”, lamentou o membro do movimento cívico sendo certo que tarde e mostrando-se como era, uma má solução, o açude foi, desmantelado causando o arrastamento de uma parte destas plantas infestantes.

Os pescadores que vivem junto à margem do Sorraia, na vila de Porto Alto, no concelho de Benavente, partilham da opinião de Alberto Santos e sublinharam que esta praga tornou impraticável a navegação pelo rio com as redes de pesca a ficarem presas, dificultando o trabalho destes profissionais, que preferiram não se identificar, e que vincaram que têm passado grande parte do tempo a retirar os jacintos de água que ficaram agarrados.

Uma simples viagem de barco, permitiu à Lusa verificar que existem milhares destas plantas infestantes ao longo do rio, que cobrem quase toda a superfície do Sorraia e dificultam a travessia, “Juntaram-se ali alguns quilómetros de jacintos. Foi uma massa enorme de jacintos que foi libertada [pelo desmantelamento do açude] sem qualquer tipo de controlo”, criticou Alberto Santos.

O presidente da Câmara Municipal de Benavente, Carlos Coutinho (CDU), afirmou à Lusa que não se pode dizer que foi “um açude que potenciou” esta situação.

“Esta praga de jacintos não é nova, é uma situação que já está introduzida no país há algum tempo”, explicou, acrescentando, contudo, que agora é “de grande urgência”.

Carlos Coutinho salientou que “um pequeno foco de jacintos” consegue multiplicar-se em pouco tempo e, em duas semanas, o rio está “cheio de jacintos”.

Preocupe-se mais com o Ambiente Matos Fernandes ja que esse é o seu ministério ! 

Nardia M

Imagem destaque: Lusa 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.