Home Nacional O Novo Mapa de Deputados

O Novo Mapa de Deputados

por Joffre Justino

 
Os distritos de Lisboa e do Porto vão ter uma representação maior na Assembleia da República a partir de Outubro, pois  cada um destes dois círculos recebe mais um deputado por causa  da variação  do número de eleitores nos 20 círculos eleitorais em que se divide o continente e as regiões autónomas e assim Lisboa passa a eleger 48 deputados e o Porto 40, enquanto a Guarda desce para três e Viseu para oito.
O mapa com o número de deputados a eleger para a Assembleia da República nas eleições de 6 de Outubro foi publicado no Diário da República e mostra uma outra alteração em relação ao das legislativas de 2015 com  os cadernos eleitorais a ganharam quase 1,2 milhões de eleitores devido às novas regras de recenseamento eleitoral que, além de inscreverem automaticamente quem renova o cartão de cidadão, passou a registar também automaticamente nos círculos da emigração os portugueses que tratam da sua documentação nos consulados e outros postos diplomáticos espalhados pelo mundo e com essas alterações  o círculo da Europa passou  de 78 mil eleitores para 895 mil, e o círculo Fora da Europa subiu de 164 mil para 570 mil eleitores.
Entretanto o distrito da Guarda perdeu 12 mil eleitores entre 2015 e este ano, e o de Viseu viu os cadernos eleitorais perderem  24 mil eleitores estando evidente que a redução da representatividade da Guarda e de Viseu mostra a contínua desertificação da faixa interior do país.
Tal acontece também em  Portalegre, que elege dois, sendo o único distrito com menos de cem mil eleitores com  96.425, em Bragança, Évora e Beja, que elegem três; Castelo Branco elege quatro; Vila Real elege cinco.
Pelo círculo de Viana do Castelo são eleitos seis; Coimbra, Santarém e Faro elegem nove deputados cada; Leiria tem dez, Aveiro conta com 16, Setúbal com 18 e Braga 19.
Nas regiões autónomas, a Madeira vale seis deputados e os Açores cinco. Nos dois casos registou-se um aumento do número de eleitores — mais 1500 no arquipélago açoriano (228.975); mais dois mil no madeirense (257.897).
Pelo mapa da CNE percebe-se não só essa redução de eleitores na faixa interior mas também noutros distritos do litoral. Dos vinte círculos eleitorais do continente e ilhas, além das regiões autónomas, os únicos que têm agora mais eleitores do que há quatro anos são Lisboa (mais 20 mil), Setúbal (mais 11.500), Porto (mais 3500) e Faro (mais seis mil). No resto do país, além dos valores da Guarda e de Viseu, os distritos perderam entre cinco mil eleitores (como como Évora e Portalegre) e treze mil, como Santarém e Viana do Castelo.




 
 
Joffre Justino
 


 




 
https://www.facebook.com/estrategizando/
https://twitter.com/estrategizando
 
 
0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.