Home Cidadania “Bab Sebta”

“Bab Sebta”

por Mafalda Gomes

Em árabe, “Bab Sebta”, significa “a porta de Ceuta”. É onde chegam todos os que sonham em chegar à Europa. O documentário português sobre a migração africana, foi reproduzido no Pólo Cultural Gaivotas, no contexto do programa de verão Lusco-Fusco.

O país onde nascemos determina as nossas oportunidades. As razões da migração passam por motivações económicas, religiosas, políticas… A migração africana para a Europa é parcialmente motivada por razões económicas. O documentário, de Frederico Lobo e Pedro Pinho, “Bab Sebta” mostra como o destino “Europa” é idealizado pelos camarades com trabalho, bons salários e esperança.

É uma travessia em que sabem que apostam a vida. As inúmeras razões referidas nos testemunhos das pessoas (maioritariamente homens) que saem do seu país, onde está a família, as memórias e as raízes são a fome, o desemprego, a guerra, a corrupção, a instabilidade política, as clivagens económicas… A Europa é percecionada como um centro de prosperidade económica. É para muitos a única saída. Por isso arriscam tudo por uma vida melhor.

O documentário de 2008 antecede a crescente crise dos fluxos migratórios, que provocou mais restrição nos mares, e nas fronteiras dos países europeus. Mas já é visível que as experiências dos camarades são limitadas pelas autoridades e pela legislação. Por essa razão muitos lembram que “os europeus é que nos mostraram o caminho pelo mar, eles vieram para cá, e agora nós vamos para lá.”

Em Bab Sebta as questões principais são a definição de nação, a legitimidade da imigração ilegal, e o destino Europa de milhares de “camarades”, que sonham com uma vida nova cheia de possibilidades. É sobre existirmos todos no mesmo sítio, mas estarmos longe. É sobre não nos vermos, ouvirmos, tocarmos. É sobre não conseguirmos olhar-nos nos olhos.

Até Setembro, a 4ª edição do Lusco-Fusco ainda conta com filmes, concertos e jantares.

 O pátio do Polo Cultural Gaivotas l Boavista volta a receber o Lusco-Fusco, para a sua 4.ª edição. Programa inspirado no território em que o Polo se insere, este ano procura o envolvimento não só dos agentes e entidades culturais que o frequentam, mas também de todos aqueles que residem ou cruzam este eixo da cidade.

Entre julho e setembro, o Polo oferece, com o apoio e parceria das entidades residentes no território, uma programação diversificada que contempla concertos, sessões de cinema, performances, epças de taetro e jantares com gastronomia internacional.

Num local onde, noutros tempos, conspirou a nobreza portuguesa e, mais tarde, crianças aprenderam a ler, a escrever e a contar, em ambiente de regime ditatorial e, mais tarde, de regime democrático, convidamos hoje, todos, a ocupar e a usufruir deste espaço, atualmente centro para a criação artística, e a (re)descobrir, a participar, e a desfrutar das iniciativas que aqui se apresentam.

Abrimos o nosso portão, uma vez mais, ao lusco-fusco dos dias de verão, em Lisboa.

OS SALTEADORES
Dentro de um carro, numa viajem à noite ao longo da costa portuguesa, nos anos 50, ouve-se uma discussão sobre a identidade de um grupo de homens, capturados e mortos há alguns anos no decorrer da guerra civil espanhola.
Portugal – 1993 – 14 min

BAB SEBTA
Bab Sebta significa em árabe a porta de Ceuta e é o nome da passagem na fronteira entre Marrocos e Ceuta. É o local para onde convergem aqueles que, vindos de várias partes de África, procuram chegar à Europa. O filme percorre quatro cidades ao encontro dos tempos da espera e das vozes desses viajantes.
Portugal – 2008 – 110 min

Mafalda Gomes

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.