Home Direitos e Deveres A greve dos motoristas arranca inutilmente amanhã – com ou sem ANTRAM venha a Arbitragem!

A greve dos motoristas arranca inutilmente amanhã – com ou sem ANTRAM venha a Arbitragem!

por Joffre Justino

Ato de teimosia dos motoristas, esta greve?

Não, ato de teimosia da ANTRAM ( mais uma associação das direitas a fazer-se das Esquerdas…) que recusa negociar sob greve…e fura o cumprimento da lei. 

Assim, recordam os sindicatos diz a TSF, “Tivemos hoje aqui uma associação patronal de pequenas e médias empresas [a União dos Transportadores Portugueses (UTP)], se empresas destas dimensões consideram que estão reunidas todas as condições para se assumir um contrato coletivo de trabalho tal e qual como nós estamos a apresentar à Antram, eu acho que não há aqui um motivo para a Antram não querer aceitar este contrato”, disse Francisco São Bento.

Ora a União dos Transportadores Portugueses (UPT), com sede no Porto, que representa meia centena de pequenos e médios transportadores, exortou esta segunda-feira o governo a regular o setor e a fazer cumprir as leis que existem no país, atitude séria e reguladora.

“Não procuramos ajudas nem subsídios, apenas pretendemos que o Governo faça cumprir as leis, que não são cumpridas devido aos fortes lóbis do setor”, disse à Lusa Domingos Pereira, vice-presidente da Assembleia Geral, significando que anda algo escondido com rabo de fora neste caso da ANTRAM quanto à fuga aos impostos e mais!

Caso a lei fosse cumprida, diz Domingos Pereira, as empresas “faturavam o suficiente para pagar aos motoristas e a questão da greve nem estaria a ser discutida” o que mostra a justeza das reivindicações sindicais.

Esta nova associação, oficializada a 14 de junho, mostra-se disponível para colaborar na realização de um estudo de mercado para criar uma tabela de faturação com preços mínimos nos transportes pois segundo Domingos Pereira, “tudo é tabelado no país, desde os táxis ao comboio e transporte de passageiros”, e questionou “por que razão não se consegue tabelar nos transportes de mercadorias para não haver concorrência desleal”, deixando a ANTRAM no maior entalanço na nossa singela opinião 

Assim, estando solidário com a luta dos motoristas, o representante da UPT defende um Contrato Coletivo de Trabalho que garanta “condições de trabalho adaptado aos motoristas e às empresas, de modo a que todos possam trabalhar condignamente 

“Nós queremos cumprir as nossas obrigações, mas o governo tem de cumprir. E, se cumprir, as empresas vão faturar o suficiente para lhes pagar”, frisou o dirigente, salientando que os motoristas “não exigem nada mais do que têm direito, atendendo à carga horária e à deslocação para fora da área de residência”.

Ora, estranhamente, a UTP queixa-se também de ainda não ter sido recebida pelo governo, após várias diligências efetuadas nesse sentido, e mostra-se convencida de que se a legislação atual fosse cumprida “os motoristas provavelmente não avançariam com a greve”.

Perante esta nova realidade empresarial estão na verdade criadas as condições para que o governo imponha um processo de Arbitragem onde esta nova associação tem claro de participar pois chegou a altura de minimizar o papel da ANTRAM. 

Esta associação segundo Pardal Henriques, aliás, continua na ilegalidade com  as empresas alegadamente incentivadas pela ANTRAM a fazer seguir  para os trabalhadores e não para os sindicatos as escalas de trabalho e ainda por cima com 12 ou 14 horas de serviço!

Claro que esta dupla ilegalidade leva os sindicatos a defenderem  o cumprimento somente das oito horas de trabalho.

Segundo a Lusa “As empresas estão, desde sexta-feira, a enviar escalas para os trabalhadores para se apresentarem ao trabalho”. 

Eis pois porque o Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas não identifica os trabalhadores para o cumprimento dos serviços mínimos. 

Cada vez mais urge a Arbitragem deste processo negocial ! 

Joffre Justino

Imagem destaque: Lusa 

0 comentário
0

RECOMENDAMOS

Comente

* Ao utilizar este formulário, você concorda com o armazenamento e gestão de seus dados por este site.